As 5 principais tendências do mercado imobiliário para 2022

Entenda as movimentações que influenciam diretamente nas tendências do mercado imobiliário em 2022 – e nos próximos anos.

Acompanhar as tendências do mercado imobiliário é fundamental na hora de decidir se este é um bom momento para comprar um imóvel ou não.

Sendo afetado indiretamente por diversos fatores externos – como o cenário político, a movimentação da Selic, oferta, procura e tantos outros -, ele acaba se tornando uma fotografia do que ainda pode se passar no ramo imobiliário, ajudando compradores a saberem, por exemplo, se estamos num momento hiper ou pouco valorizado para esse tipo de transação.

Mas, quais serão as tendências do mercado imobiliário para 2022?

O cenário geral de 2021

O Mercado Imobiliário de 2021 surpreendeu os mais pessimistas. O advento da tecnologia nas transações imobiliárias, que desburocratiza diversas etapas da compra, e a alta procura pela casa própria, fez com que a venda de imóveis novos registrasse um aumento de mais de 46% no primeiro semestre do ano em relação ao período anterior.

Já quando olhamos para os números de 2021 como um todo, o crescimento de vendas de novas unidades foi de quase 13%. Ambos os dados são de levantamentos realizados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção, a CBIC.

Em partes, esse movimento era esperado, ainda com o avanço da COVID-19 pelo Brasil. “O mercado imobiliário foi o que se recuperou mais rapidamente dos reflexos da pandemia nesses quase dois anos”, comenta José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo, em entrevista à Casa Vogue.

Tendências do Mercado Imobiliário 2021/2022 frente à Selic

O crescimento no segundo semestre começou a encontrar alguns desafios para se manter com o crescimento da Selic.

Em queda por quatro anos, atingimos, no final de 2021, o maior patamar desde 2014 – 9.25%. Segundo o Relatório de Mercado Focus (BC), esse movimento de subida deve seguir ininterrupto em 2022, atingindo a marca de 11.5%.

Naturalmente, isso impacta diretamente os aluguéis e financiamentos imobiliários, que ficam mais caros devido ao aumento dos juros.

Seguindo a mesma tendência, a alta da inflação mina o poder de compra do consumidor, principalmente os de renda mais baixa. Exatamente por isso, 2022 se apresenta como um ano onde comprar um imóvel segue possível, porém requer mais planejamento e parcimônia.

Tendências do Mercado Imobiliário 2022: otimismo

Apesar da alta da Selic e inflação, grande parte dos especialistas seguem com opiniões favoráveis quando o assunto é tendência do mercado imobiliário no Brasil em 2022.

A expectativa é que o movimento de alta registrado em 2021 prossiga, ainda que a passos mais curtos. Segundo Kristian Huber, co-fundador e vice-presidente de negócios da Loft, também em entrevista à Casa Vogue, “a demanda por compra e venda de imóveis seguirá sendo uma forte tendência em 2022(…): o mercado imobiliário é um investimento sólido, é uma classe de ativos consolidada e o imóvel residencial no Brasil sempre foi uma reserva de valor. Ou seja, se houver uma crise muito grande, o imóvel estará lá.”

Além disso, espera-se que as taxas de juros sigam o movimento da Selic até o primeiro semestre, onde deve apresentar estabilização, dando mais fôlego para o setor.

Enquanto isso, ainda nos primeiros meses de 2022 já é possível identificar alguns pontos que antecipam esse movimento de alta no setor. Segundo o índice Quinto Andar, isso pode ser observado na valorização do metro quadrado no Rio de Janeiro em níveis pré-pandêmicos pela primeira vez – o mesmo se aplica a 40% dos bairros de São Paulo.

Dessa forma, o único obstáculo real de 2022 quando pensamos nas tendências do mercado imobiliário será o custo do crédito – e não necessariamente a oferta e a procura. Assim, retornamos à recomendação de planejamento financeiro e organização para realizar o sonho de comprar um imóvel.

Mais 5 tendências do mercado imobiliário para 2022

Não só de inflação e Selic vive o mercado imobiliário. Confira a seguir cinco pontos que ajudarão a tracionar o mercado imobiliário em 2022.

1. Mais espaço, melhor localizado

A pandemia mexeu com a preferência e com as necessidades do público. Desde 2021, observa-se o movimento de busca por imóveis maiores com localizações convenientes – próximo a supermercados, farmácias, pontos de ônibus e principalmente metrô (sobretudo no caso de São Paulo).

Isso é justificável quando existe uma demanda de manter a família por mais tempo dentro de casa. Já o retorno ao trabalho presencial de forma gradual e híbrida é um fator que impulsiona o comprador a buscar imóveis em locais convenientes, evitando que precise ficar muito tempo exposto durante o percurso casa-trabalho.

2. Casa+Trabalho

Com a realidade do home office, cresceu significativamente a demanda por condomínios que apresentem áreas destinadas para o trabalho, como espaços de coworking. Essa é outra forte tendência que foi impulsionada pela pandemia de COVID-19 e deve seguir em alta por todo 2022 e nos próximos anos.

3. Consciência Sustentável

Outra movimentação que promete ser uma tendência do mercado imobiliário é a preocupação com práticas ESG.

Energia sustentável, reutilização de água e diversas outras tecnologias que coloquem o meio ambiente em primeiro lugar se tornam fatores cada vez mais decisivos na hora da compra. Isso impacta diretamente até mesmo durante a etapa de planejamento e construção do imóvel.

4. Imóveis Usados e Novos com Plantas Flexíveis

A busca por imóveis mais espaçosos esbarra, também, em imóveis usados ou de plantas flexíveis. Enquanto o primeiro apresenta ambientes maiores, o que se torna um diferencial, o segundo oferece a possibilidade do comprador modificar alguns ambientes, a fim de se ganhar mais espaço.

5. Permanência do Tour Virtual

O Tour Virtual veio para ficar. Por meio de óculos de realidade virtual, o comprador pode visitar várias unidades sem sair da própria casa. Isso garante segurança aos envolvidos, considerando a crise sanitária, bem como praticidade, principalmente para o comprador.

O diferencial de 2022, por outro lado, é a utilização dessa tecnologia até mesmo para imóveis usados. Por meio dela, além de visitar o imóvel desocupado, o comprador pode simular como ele ficaria decorado a partir do seu próprio gosto. Isso ajuda significativamente nas vendas, uma vez que os decorados aumentam a liquidez da operação imobiliária.

Fonte: Tarjab Incorporadora

Deixe seu comentário