Mercado imobiliário tem menos contato e mais interação virtual

Mercado imobiliário – De contratos assinados digitalmente a tour virtual com imagens em 360º: como a tecnologia tem mudado a forma de negociar imóveis em Rio Preto.

A pandemia do coronavírus impactou não só as estimativas de crescimento da economia em 2020, como também mudou a rotina de trabalho de inúmeras áreas, inclusive a das imobiliárias, que tiveram que reorganizar a forma de trabalhar para continuar operando neste período. O setor volta a abrir para atendimento presencial ao público na segunda-feira, 1º de junho, conforme decretos estadual e municipal. Mercado imobiliário

Mariana Giorgi, diretora da imobiliária Compacto, conta que, com a pandemia, a rotina de trabalho mudou muito, justamente porque a empresa teve de fechar as portas e atender de forma online, por telefone e canais digitais. Para ela, no entanto, mesmo depois da flexibilização o ritmo de trabalho será diferente. “Foi preciso montar um comitê de crise para tratarmos individualmente cada caso no departamento de locação, pois estamos tendo muitas negociações de aluguel e muitas desocupações também. Além disso, ao mesmo tempo, temos também aquelas pessoas que agora estão atrás de um imóvel, já que o aluguel está mais barato”, explica.

A imobiliária Re/Max Best considerou que a adaptação foi simples. Isso porque a empresa já estava familiarizada com muitas das ferramentas digitais e teve de incluir na rotina os cuidados básicos com a saúde de acordo com as orientações das autoridades. Segundo o diretor e proprietário Alcides de Mello Júnior, a rede possui mais de trezentas lojas e o meio tecnológico já era de suma importância para o negócio. “A tecnologia está presente no modelo de gestão e comunicação da empresa. Inclusive, os treinamentos online, bem como as lives diárias instruindo, capacitando e orientado os corretores foram e são presentes. Portanto, a rotina apenas se adequou mais à informática”, explica.

A solução para continuarem operando em meio à pandemia foi reajustar a forma de trabalhar, ou seja, se reinventar para funcionar nesse período. Em um primeiro momento, Mariana explica que sua imobiliária continuou com os trabalhos de administração e o departamento comercial atendia online. Para reabrir, a empresa preparou o espaço com álcool em gel, orientações sobre o uso de máscaras e reposicionou os colaboradores para manter distância segura. “Demos preferência em agendar as vistas com os clientes diretamente nos imóveis, sem a necessidade de irem até a imobiliária”, diz a empresária.

Alcides, por sua vez, diz que sua imobiliária intensificou o uso de contatos digitais por meio de ferramentas de assinatura digital, que permitem comunicação rápida e efetiva. Segundo ele, as visitas aos imóveis estão sendo feitas por meio de filmagens e com horários programados. “Além da filmagem tradicional, incluímos o tour 360°, que permite maior interatividade, cômodo a cômodo, nos imóveis”, explica.

Os corretores de imóveis também tiveram de se adaptar a uma nova realidade de trabalho. Mariana explica que, antes, apenas tinham um pré-atendimento à distância, mas boa parte era presencial. “Agora, a maior parte do atendimento ao cliente é online e isso requer do corretor muito cuidado e atenção. As visitas já estão sendo feitas e o corretor orienta o cliente sobre a necessidade de usar máscara e higienizar as mãos com álcool em gel”, conta. Mercado imobiliário

A empresária complementa dizendo que a tecnologia tem ajudado nesse processo. Na locação, contratos já eram assinados digitalmente, evitando a ida à imobiliária. Já as reuniões e lançamentos de imóveis estão sendo realizadas pelas plataformas digitais.

Fonte: Diário da Regiao

Deixe seu comentário