Presidente da Caixa anuncia estudo de redução de juros, com destaque para as linhas do SBPE

Cerca de 200 empresários do setor da construção participaram no último dia 2 de março, na sede do Sinduscon-PE, de seminário com membros da diretoria nacional da Caixa Econômica Federal, cuja palestra principal foi ministrada pelo presidente da Caixa, Gilberto Occhi. Durante a palestra intitulada “Perspectivas do Mercado Imobiliário e Infraestrutura para 2018 das Pequenas e Médias Empresas de Construção”, Occhi apresentou resultados de 2017, necessidades de adequação criadas pelo atual cenário e metas para 2018.

“A Caixa Econômica Federal fez bem o seu trabalho em 2017 e encerra o ano com o maior lucro de sua história, que será divulgado em breve, e mesmo com as críticas que tem sofrido cresceu sua participação no mercado imobiliário, respondendo por 70% das operações”, disse ele. Sobre o mercado imobiliário, Occhi chegou a avaliar a notícia publicada também nesta sexta-feira, 02  pelo Valor Econômico na qual informa que a Caixa foi superada por dois bancos privados no tocante ao número de financiamento imobiliários concedidos através do SBPE em janeiro de 2018. “Trata-se de um fato pontual”, sintetizou, adiantando que está em estudo na Caixa uma redução de juros de várias linhas de crédito,  mas com um olhar especial para as linhas lastreadas pelo SBPE. “Quando se fala de uma Selic (taxa básica de juros) de 6,5% e de uma taxa de juros de 8,5% ou 9%, qualquer redução ajuda”, disse.

De acordo com o presidente da Caixa, não faltarão recursos para as contratações do setor. “Só o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem R$ 85,5 bilhões garantidos para aplicações este ano e R$ 69,5 bilhões desse valor estão destinados à habitação”, informou. “O FGTS tem R$ 325 bilhões garantidos até 2021. Então, temos sustentabilidade até lá”, explicou. Ainda assim, Gilberto Occhi ponderou sobre a importância de haver alternativas de fundings além do FGTS e SBPE. “Precisamos de fundings que não fiquem à mercê da dinâmica da economia do país”, considerou.

Para o presidente do Sinduscon-PE, José Antônio de Lucas Simón, anfitrião do evento, a Caixa tem a obrigação de voltar a ser o primeiro colocado no ranking de financiamento imobiliário via SBPE. O construtor foi categórico ao afirmar para Occhi e seu staff que se há um setor com poder de ajudar a instituição nesse sentido é a construção civil. “A construção civil precisa ser entendida como o elo para a retomada da economia pelos próximos dez anos, pois o país tem carência não só de habitação, como também de infraestrutura”, defendeu.

Ainda na parte da manhã, Occhi respondeu pessoalmente as dúvidas de diversos empresários da construção que levaram casos concretos para discussão. Na parte da tarde, foi a vez do vice-presidente da Habitação da Caixa, Nélson Antônio de Souza, ministrar palestra sobre “Atualização dos Procedimentos da Engenharia da Caixa para 2018”. Antes de iniciar a palestra, porém, o vice-presidente adiantou a informação de que a Caixa tem como meta para este ano a contratação de 650 mil unidades do programa Minha Casa, Minha Vida, nas faixas subsidiadas, fora o que virá para a habitação de mercado. “Estamos querendo chegar a 800 mil unidades e para isso temos recursos sim”, frisou ele.

Para a coordenadora do evento, diretora de Assuntos Imobiliários do Sinduscon-PE e vice-presidente da CBIC, Betinha Nascimento, falou da importância de eventos diferenciados como este para manter aberto o diálogo entre a Caixa Econômica Federal e a iniciativa privada, com a interlocução do Sinduscon-PE. “Precisamos discutir em conjunto as nossas angústias e tirar as dúvidas, além de aprender com as experiências passadas.

O evento encerrou por volta das 16h30, após uma rodada de debate entre os empresários e os representantes da Caixa presentes.

Fonte: CBIC