Lendo Agora
Imobiliária digital incentiva a equidade de gênero no setor

Imobiliária digital incentiva a equidade de gênero no setor

Imobiliária digital incentiva a equidade de gênero no setor
Muito tem se falado sobre as necessidades que a pandemia impôs aos negócios, fazendo com que houvesse a inevitabilidade de se tornar digital e integrado ao mundo online. Mas essa é uma realidade que vem sendo posta em prática por empresas sólidas no mercado há muitos anos. E como isso pode nos ajudar diante do cenário atual?

Oferecer uma boa jornada ao consumidor se tornou um dos principais objetivos a serem alcançados quando falamos em mudanças para o mundo digital, online e cloud-based. A experiência que ele encontra ao visitar um espaço online requer um planejamento de estratégias minucioso, pensando em cada clique que o cliente vai dar em seu site ou aplicativo.

Se trouxermos isso para o ecossistema do mercado imobiliário no Brasil e no mundo, conseguimos entender quais são as necessidades primordiais dos compradores, vendedores e corretores de imóveis. Para o primeiro grupo, por exemplo, a possibilidade de encontrar todas as informações de forma rápida e concisa faz com que a jornada online seja mais agradável e sem as fricções do mercado analógico, por exemplo.

Para os proprietários que desejam vender seu imóvel, é muito importante que os processos tenham celeridade e seja possível anunciar o seu imóvel e vendê-lo de maneira ágil. Para isso acontecer, é necessário que a oferta chegue ao interessado em potencial, principalmente àqueles que tenham fit com o preço anunciado.

Segundo a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) o tempo médio para a venda de um imóvel é de cerca de 1 ano e 4 meses. Já o de uma imobiliária digital consegue ser mais rápido, principalmente porque os trâmites legais são mais otimizados, o encontro com os potenciais compradores é mais direcionado e o custo das operações é mais baixo.

E por fim, o último grupo, o de corretores de imóveis, são os que mais se beneficiam em relação à implementação de ambientes digitais para a execução de seu trabalho. Pensando em um ecossistema de trabalho digital, a opção 100% remota foi pensada para oferecer mais segurança, conveniência, liberdade, confiança, equidade aos corretores e corretoras que possuem ferramentas para serem mais produtivos.

Leia Também

Na estrutura cloud-based, não é necessário gastar com custos tradicionais de uma imobiliária, como por exemplo uma sede física, e com isso podemos gerar mais retorno financeiro para o ecossistema. O modelo de trabalho digital está reinventando as relações entre imobiliárias e corretores e mudando o modelo de monetização deste setor, que carece de mais proporção em relação a comissões e participações diretas dos corretores nos lucros da companhia.

Vale lembrar que essas formas de trabalho digitais, que estão sendo construídas ao longo de muitos anos – e não apenas nesse momento de pandemia – fez com que fosse possível implementar um modelo de negócio que preza pela celeridade, transparência e segurança em todas as pontas dos processos. Isso faz com que haja mais liquidez tanto para os proprietários, a empresa, quanto para os corretores que fazem isso acontecer.

Por Ernani Assis – Com mais de 15 anos de experiência no mercado imobiliário do Brasil e EUA, e também no ecossistema de tecnologia Atualmente ele é Managing Director da eXp Brasil, mas já teve passagens pelo Grupo ZAP, maior plataforma imobiliária da América Latina, onde atuou como vice-presidente; foi EVP e CEO Regional da RE/MAX Brasil e por fim, foi presidente e CEO da CENTURY 21 Real Estate para o Brasil e Uruguai.

Deixe seu comentário abaixo!
Nenhum Comentário (0)

Deixe seu Comentário

Seu email não será divulgado.

© 2021 Publicidade Imobiliária. Todos os direitos reservados.