Como funciona o investimento imobiliário?

É quase um ditado popular: “investir em imóveis é um bom negócio”. Mas você já parou para pensar que esse pode ser um dos melhores investimentos para se fazer, mas que requer muito conhecimento sobre o assunto? Isso evita problemas e garante uma maior segurança na hora de fechar o negócio.

O aluguel é sem dúvidas uma renda garantida todo o mês. É uma aplicação segura, porém a baixa liquidez pode prejudicar a venda, compra ou o aluguel de um imóvel. E é difícil prever quando ela irá aparecer ao longo do ano. Uma solução para esse problema pode ser o fundo de investimento imobiliário, que ganhou força no mercado a partir de 2007.

Os fundos de investimentos imobiliários reune um grupo de investidores, chamados cotistas, que aplicam conjuntamente seus recursos em empreendimentos imobiliários que não seriam capazes de adquirir sozinhos. Os investimentos podem ser feitos não só em casas ou apartamentos, mas em shoppings, edifícios comerciais, hotéis ou até agência bancária.

Dentro do negócio existe um número de cotas do fundo imobiliário para cada investidor, proporcionais ao dinheiro investido, que também podem ser negociadas na bolsa. Nesse caso, um investidor de fundos de investimento imobiliário têm a vantagem de ter liquidez diária. Ou seja, pode entrar e sair do fundo a qualquer momento, comprando ou vendendo suas cotas no mercado.

Vantagens e desvantagens do investimento em fundos imobiliários

Um dos principais pontos positivos desse investimento é a valorização das cotas. Pois é assim que se pode ganhar uma quantia maior que a investida. Nesse caso pode ocorrer a venda da cota por um preço acima que o da compra, é assim nas negociações de ações de empresas.

Outra vantagem é o recebimento mensal dos aluguéis de imóveis. Porém nos fundos imobiliários, 95% do lucro líquido é dividido entre os cotistas. Mas a aplicação é prática e rápida e costuma ser mais acessível aos pequenos investidores nessa área do mercado.

Por mais que sejam vários os benefícios, também existem os riscos. Os fundos de investimento imobiliário estão sujeitos a uma série de imprevistos e também correm riscos no mercado. A queda dos preços de imóveis é um exemplo, assim como a redução da taxa de ocupação dos empreendimentos adquiridos como patrimônio do fundo.

Comprar um imóvel ainda em construção também pode se tornar um problema se houver atrasos. Pois o fundo de investimento imobiliário não permite que as cotas sejam resgatadas pelos investidores antes da entrega. Esse risco também ocorre quando há liquidez, pois o resgate só pode ocorrer em caso de liquidação do fundo e para se desfazer da aplicação. Nesse caso é somente vendendo as cotas para outro investidor, e nem sempre há alguém disposto a entrar no negócio.

Existem alguns custos na hora de investir no fundo, como a taxa de administração, que varia conforme o fundo e o gestor. A taxa de performance, que é cobrada pelo desempenho quando o valor bate um parâmetro estipulado. E a taxa de colocação, que é a comissão pela comercialização das cotas dos fundos de investimento imobiliário.

Para que não haja mal entendidos ou surpresas desagradáveis é imprescindível obter todas as informações necessárias sobre o investimento e ler atentamente os documentos antes de entrar como cotista em um empreendimento desse porte.

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!