Seus corretores estão saindo da sua imobiliária (e a culpa pode ser sua!)

O boom imobiliário, ocorrido na virada da década produziu um modelo de formação de corretores que nem sempre se tornou o mais eficiente e sustentável. Baseado na alta rotatividade das equipes, atendeu um período onde havia uma grande demanda por imóveis, onde o conhecimento técnico e a qualidade do atendimento não eram assim tão importantes para fechar uma venda.

Passados alguns anos deste momento, ainda é comum encontrar imobiliárias (principalmente aqueles que atuam em lançamentos) que ainda atuam sob esse modelo, sem perceber que hoje, não só a qualidade do atendimento e a técnica do corretor precisam ser apuradas, mas também é muito importante que o corretor sinta-se feliz e motivado e isso vai além do dinheiro.

Neste contexto, compartilho neste artigo alguns motivos que tem feito muitos corretores abandonar a rotina e a estrutura imobiliária para se aventurar (muitos com sucesso) em uma carreira individual.

1. Dinheiro!

Money, grana, larjan, bufunfa. Seja como for a maneira como você chama o dinheiro, ele é o principal motivo pelo qual o corretor sai da sua imobiliária.

Quase sempre uma comissão atrasada ou uma partilha considerada injusta faz com que o corretor decida sair e tentar trabalhar em outra empresa ou mesmo tentar o caminho autônomo.

Aí você se pega perguntando como pode alguém abandonar a estrutura com conforto, internet, anúncios entre outros atributos que sua empresa dispõe para o trabalho.

Dinheiro é muito importante e para o corretor, ele parece ser mais importante ainda, dado a sua condição de profissional autônomo, normalmente sem direitos assegurados.

A solução para isso é sempre o diálogo. Conversar antes dos problemas surgirem é um caminho que costumo apontar quanto preciso intermediar estas situações. Deixar claro condições de comissão e prazos de pagamento evitam conversas improdutivas no corredor que terminam por separar as equipes no futuro.

2. Ambição Profissional

Antes que alguém se ofenda por eu ter comentado a importância do dinheiro na vida do corretor, eu já faço um mea culpa dizendo que a ambição e o desejo de crescer é um motivador para que este profissional abandone a sua imobiliária.

Afinal, vamos pensar bem: antes de montar a sua empresa, você também teve a ambição de ter o seu próprio negócio, de fazer vendas sem partilhar a comissão ou de simplesmente provar que poderia tocar um negócio com sua expertise.

Quase toda imobiliária surge dentro de outra e isto é uma verdade no mercado. Se você possui um grande corretor e que busca novos desafios, tente oferecer a ele novas oportunidades, proporcionando novos ganhos e participação.

Se mesmo assim ele deseja sair, abençoe seu projeto e conte com um amigo ao invés de um concorrente.

3. Sua imobiliária não é tão boa como você pensa

Qual o perfil da sua imobiliária? Ela é mais tradicional, encontra os resultados através de métodos mais adequados aos anos 90. Ou ele é mais moderna, investe em marketing digital e possui forte atuação na internet.

Não existe perfil ideal, existe o perfil adequado para cada empresa e sua equipe deve refletir isso. Do contrário, é possível que profissionais se frustrem ou não encontrem um melhor cenário para apresentar uma boa performance.

Portanto, selecione corretores com perfil próximo ao da sua empresa, mas não deixe de avaliar a sua própria imobiliária, para entender o quanto ela tem sido eficiente em oferecer bons serviços tanto a clientes, quanto a equipe de vendas.

Se neste processo você desconfiar que precisa se reciclar, atualizar processos e melhorar a qualidade dos serviços, é saudável que você chegue à conclusão de que chegou a hora de se reinventar.

Um abraço e até a próxima.

Fonte: Tecimob

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!