Metaverso também chegou ao mercado imobiliário; conheça a tendência de terrenos virtuais

O Mercado imobiliário se mostra aquecido e inserido nas principais tecnologias e tendências do mundo online

Desde que Mark Zuckerberg anunciou a mudança de nome da marca Facebook para Meta, motivado pelo metaverso a ser lançado pela empresa, a ideia de metaverso está na pauta de debates de diferentes áreas.

Metaverso também chegou ao mercado imobiliário; conheça a tendência de terrenos virtuaismercado imobiliário

Com o crescimento do setor imobiliário, com novos lançamentos e aberturas de vagas de emprego, surge uma nova tendência: os imóveis virtuais. Alguns já foram comercializados por US$ 2,4 milhões, o equivalente a mais de R$ 13 milhões.

A Meta, de Zuckerberg, anunciou seu interesse no setor de imóveis virtuais, o que movimentou ainda mais o mercado. Afinal, é esperado que isso se valorize ainda mais no futuro, sendo uma excelente oportunidade de investimento para conseguir um melhor retorno.

O que é o metaverso

Metaverso é o conceito de mundo virtual que busca replicar a realidade por meio de diversos dispositivos digitais. Esse é um espaço coletivo e virtual compartilhado, uma experiência a partir da realidade virtual, realidade aumentada e pela internet.

Considerado uma utopia futurista, o metaverso une o mundo real e o virtual, apesar de ainda estar em construção. Porém algumas plataformas já estão desenhando essa nova camada da realidade, desenvolvendo universos completamente digitais, em que é possível adquirir terrenos e construir casas ou negócios digitais. Isso já é conhecido como “terrenos no metaverso”. mercado imobiliário

Essas terras existem em algumas plataformas que já se relacionam com o metaverso, como o The Sandbox (SAND) e a Decentraland (MANA). Esses “pedaços de solo virtual” estão dispostos em mapas digitais, que ficam divididos em lotes.

Apesar de estarem em um ambiente virtual, para conquistar um desses terrenos, é necessário pagar – transações que são normalmente concluídas a partir de criptomoedas. Eles possuem registro de propriedade e podem ser valorizados com o tempo, ampliando a possibilidade de investimentos. Com isso, o mercado imobiliário já começa a se configurar para atender a esses universos online. mercado imobiliário

Cada terreno do metaverso é negociado a partir de um token não fungível (em inglês, “NFT”). Ou seja, trata-se de uma representação de um item exclusivo, digital ou não. No âmbito do mercado imobiliário, ele corresponderia à escritura de um imóvel.

Entretanto, há algumas diferenças básicas. O NFT corresponde a uma sequência de letras e números, não sendo um documento físico. Também não é necessário ir a um cartório para comprovar o registro, porque ele fica armazenado em uma blockchain, um grande banco de dados que nasceu com o Bitcoin.

Deixe seu comentário