Confira dicas de como evitar golpes na hora de comprar imóveis

É importante desconfiar de preços abaixo do valor de mercado. Há ofertas que podem esconder problemas documentais. Corretores podem ser consultados no Conselho Regional, por telefone ou pessoalmente.

Conseguir a casa própria é um dos maiores sonhos dos brasileiros. Na quarta-feira (12), seis corretores de imóveis foram presos sob suspeita de arrecadar pelo menos R$ 10 milhões com um golpe aplicado nas cidades do Rio de Janeiro, Niterói e Duque de Caxias, no Rio. Diante da repercussão nacional do caso, o Conselho Regional de Corretores (Creci) de Pernambuco fez um alerta a quem está pensando em comprar um imóvel, principalmente quando o valor é muito abaixo do mercado. (Veja vídeo acima).

Em entrevista ao Bom Dia Pernambuco desta terça-feira (18), o vice-presidente do Creci em Pernambuco, Petrus Mendonça, explicou que, mesmo nos casos em que o preço dos imóveis são parecidos com os de mercado, é preciso pedir assessoria profissional. Os corretores envolvidos no esquema têm enganado clientes não apenas no estado do Rio de Janeiro, mas há casos em Santa Catarina e Goiás.

Pernambuco ainda não registrou golpes desse tipo, mas mesmo assim, o conselho reforça o alerta. “As pessoas podem mensurar se os imóveis têm aquelas vantagens, como podem ser adquiridos e outros aspectos. Ofertas muito vantajosas não existem. Imóveis com valor de mercado de R$ 1 milhão não podem ser ofertados por R$ 600 mil ou menos. Para isso acontecer, possivelmente, há um problema, pelo menos na parte documental”, disse Petrus.

No golpe aplicado por corretores no Sudeste, os clientes compravam imóveis que não existiam e eram vendidos por um preço muito menor do que o do mercado. Eles os vendiam dizendo que eram casas e apartamentos apreendidos pela Caixa Econômica, porque os donos não teriam conseguido pagar o financiamento.

Ainda segundo Petrus, no momento de comprar um imóvel com um novo corretor, é importante checar os trabalhos firmados com este profissional. “Os corretores são profissionais capacitados e, para casos de dúvida, existem os conselhos de classe. As pessoas podem telefonar e pedir informações sobre esse corretor”, completou.

Fonte: G1

Deixe seu comentário