Uma estratégia pouco conhecida dos Corretores de Imóveis

O corretor de imóveis que se adapta ao mercado e busca diversificar sua atuação tem maior chance de se manter em alta a todo o tempo.

Um aspecto que permeia a carreira de muitos profissionais de sucesso é a multidisciplinaridade. Saber alinhar diferentes tipos de conhecimentos e se envolver em um maior número de áreas de atuação é um diferencial competitivo poderoso no mercado de trabalho.

Isso não é diferente na corretagem imobiliária. Ficar preso a um único ramo de atuação é perigoso e pode levar à estagnação, principalmente em momentos nos quais o mercado não está para peixe. Porém, talvez você se pergunte, como diversificar sua carteira de clientes?

Encontrando caminhos alternativos

O corretor de imóveis precisa entender que diversificar não é aumentar, mas sim encontrar negócios com perfis diferentes. Isso quer dizer que não basta ele se concentrar no tradicional se quiser maior estabilidade em sua profissão. É preciso encontrar caminhos distintos para ficar menos susceptível às oscilações que inevitavelmente ocorrem.

Alguns exemplos de meios para realizar o processo de expansão são os seguintes:

Imóveis com faixas distintas de preço: muitos profissionais se especializam em um padrão construtivo e se dedicam exclusivamente ao mesmo. Isso é perigoso pelo fato de que os perfis de compradores que representam o maior volume de potenciais clientes de um corretor de imóveis podem variar. Vários aspectos econômicos influenciam nisso, de forma que é bom ter flexibilidade de transição.

Imóveis que não sejam residenciais: imóveis que não possuem caráter residencial também precisam dos serviços ofertados pela corretagem imobiliária. Focar apenas em casas e apartamentos é mal negócio, visto a elevada concorrência e o fato de ser uma das áreas de maior variação. A dica é aprender também sobre imóveis industriais, como galpões, e comerciais.

Incorporação imobiliária: apesar de o processo de incorporação não ser a função primária do corretor de imóveis, o conhecimento que este apresenta sobre edificações, aspectos legais e fatores de localidade lhe dá certa credibilidade para atuar na área.

Consultoria: Por fim, uma função que o corretor de imóveis pode desempenhar, após adquirir uma boa carga de conhecimentos e habilidades, se refere à consultoria. As técnicas de negociação, estratégias para concretização de negócios e seu conhecimento sobre o mercado imobiliários são preciosos para muitos indivíduos e podem agregar muito valor se estruturados na forma de serviço.

Flexibilidade como alma do negócio

Corretagem imobiliária é uma atividade que exige alto poder de adaptação. Não é uma tarefa rotineira que passa dias a fio sem oscilar ou que dependa exclusivamente de seu executor. Muitos aspectos impactam em sua realização e podem levar aos mais diversos cenários.

De tal forma o corretor de imóveis deve saber lidar com mudanças e ser capaz de tomar atitudes que mantenham seu negócio nos eixos. Ele pode tentar fazer isso de duas formas: pelo processo de ação e reação ou pelo planejamento contínuo.

No primeiro caso, quando a mudança chega, ele reage e corre o risco de não ter mais tempo para solucionar os problemas que venham a ocorrer. Toma decisões imediatistas, baseadas no sentimento momentâneo e na necessidade urgente de retomar o controle.

Já quando ele se planeja, estabelece meios de contingência e protege sua atividade de maneira a reduzir os impactos. Quando a dificuldade chega, ele já possui um sistema consistente que permita maior assertividade e calma no processo de decisão. Diversificar é uma das formas de escolher esse caminho.

E ai, qual tipo de corretor de imóveis você quer ser? O que simplesmente reage, ou o que se prepara? Deixe o seu COMENTÁRIO logo abaixo!

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!