Em tempo de crise, devo ou não continuar a carreira de corretor de imóveis?

Após alguns anos com incentivos e facilidades para a aquisição de imóveis, uma moeda valorizada e economia bem aquecida, vivemos o boom das vendas imobiliárias no Brasil. Porém, como já dissemos, a crise que o país passa afeta os mais diversos setores. Como reflexo disso, os profissionais também são diretamente afetados, como os corretores de imóveis. Esses profissionais sempre acompanham a redução constante das vendas, e os resultados fazem com que alguns desistam da profissão.

No ano de 2015, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis da cidade de São Paulo recebeu 509 pedidos de cancelamento de inscrições de corretores de imóveis afetados pela crise. Esse número representa um aumento de 42% nos pedidos de cancelamentos frente à anos anteriores. E a melhora não foi sentida no decorrer do ano, visto que “novas inscrições” que vinham crescendo desde 2010, apresentou uma retração de 5%.

De acordo com especialistas, essas pessoas que desistem da profissão são aquelas que tinham a expectativa de que o caminho seria fácil. Essas mesmas pessoas, que foram levadas pelo bom momento econômico que o país passava, resolveram se tornar corretores, garantindo assim altos ganhos financeiros. No entanto, quando o bom momento passou e a crise chegou, os corretores de imóveis voltaram para suas antigas profissões ou buscaram se colocar no mercado de outra forma. Alguns defendem que estes profissionais abandonam o mercado imobiliário devido a sua falta ou pouca aptidão para a função.

Mesmo com a saída de alguns corretores de imóveis do mercado, muitos ainda se mantêm no ramo e ninguém fala que o cenário é negativo, ele está apenas “diferente”. E é nesse tempo que precisam esperar um pouco mais, se preparar e se renovar, pois quando o mercado voltar a aquecer, com novos incentivos à aquisição de imóveis, será a hora de permaneceram aproveitar!

Muitos defendem também que neste período de retração o corretor de imóveis que deseja permanecer tem muito a lucrar, pois irá desenvolver suas habilidades para conseguir efetuar a venda, já que sem as facilidades do crédito, ele terá de ter mais atenção aos detalhes, uma maior cautela nos negócios e uma dedicação ainda maior a seus clientes. E aliando todos esses pontos ao seu conhecimento do negócio conseguir êxito em suas negociações.

Apesar das dificuldades o momento não é para desistir de ser corretor de imóvel e sim buscar se reinventar, conhecer novas abordagens para um cenário de dificuldades aumentadas, e com certeza, de muito mais competitividade. Já que agora, com um número de clientes a ser prospectado reduzido, o corretor ainda obtenha êxito em suas investidas.

Portanto, se você começou a ler esse artigo com dúvida sobre o que o corretor de imóveis deve fazer em tempos de crise no setor imobiliário, se a sua pergunta era devo ou não continuar a carreira de corretor de imóveis, a resposta é: Não desista!

Como afirmamos antes, a crise imobiliária serve para que os corretores de imóveis desenvolvam suas habilidades, criem novas estratégias, pensem em como podem ser melhores e assim, quando novamente as vendas estiverem em um período bom, certamente haverá ainda mais destaque e chances de sucesso para este profissional que durante o momento adverso se dedicou e se preparou.

Fonte: Só Corretor

Deixe seu comentário