Confira as mudanças no programa Casa Verde e Amarela

Teto do programa habitacional Casa Verde e Amarela sobe para R$ 8 mil na faixa de renda mais alta do programa; expectativa é que os novos valores entrem em vigor em 18 de julho.

Mutuários que recebem até R$ 8 mil passarão a ter acesso ao programa habitacional Casa Verde e Amarela. O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou nesta quinta, 7, o aumento nas faixas de renda do programa. As mudanças foram as seguintes.

Governo eleva faixas de renda do Casa Verde e Amarela
Fonte: Conselho Curador do FGTS Conselho Curador do FGTS/Divulgação

Conselho Curador do FGTS, a atualização das faixas de renda tem como objetivo destravar o programa habitacional e melhorar as condições para as construtoras, pressionadas pelo aumento dos custos, pelos juros altos e pela inadimplência.

Segundo o Secretário Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional, Alfredo Santos, as medidas ampliam em até R$ 19 mil a capacidade de financiamento das famílias. As reduções de juros, provocadas pelo número maior de famílias com acesso às faixas mais baixas do programa, ficarão entre 0,75 e 1,16 ponto percentual, dependendo da renda do mutuário. A queda das taxas, destacou, beneficiará até 31 % da carteira do Casa Verde e Amarela.

Outra medida é permitir que a contribuição mensal ao FGTS, de 8% do salário, seja incorporada à renda que entra no cálculo da parcela do financiamento, para ampliar a capacidade de compra. A pauta deve ser votada nas próximas semanas.

Outra medida é permitir que a contribuição mensal ao FGTS, de 8% do salário, seja incorporada à renda que entra no cálculo da parcela do financiamento, para ampliar a capacidade de compra. A pauta deve ser votada nas próximas semanas.

A dificuldade do brasileiro para comprar a casa própria transparece no volume de recursos do FGTS contratados para habitação. Em evento virtual da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) para anunciar as novidades no programa, Maria Henriqueta Alves, consultora da entidade e integrante do conselho do FGTS, afirmou que apenas 38% do orçamento anual do fundo foram executados até agora, enquanto o ideal seria estar em 50%.

Leia também: Os melhores cursos e eventos do mercado imobiliário

“Não pode ficar orçamento sem executar, nossa reação tem que ser muito forte de agora até o final do ano”, disse.

Pró-Cotista

O Conselho Curador também aprovou reduções de juros no Pró-Cotista, programa destinado a quem não tem acesso ao Casa Verde e Amarela. As taxas para imóveis avaliados em até R$ 350 mil cairão de 8,66% para 7,66% ao ano. Os juros para unidades acima desse valor cairão de 8,66% para 8,16% ao ano.

Com Agência Brasil

Deixe seu comentário