Banco do Brasil estreia marketplace de imóveis retomados

Banco do Brasil estreia marketplace de imóveis retomados

O Banco do Brasil estreou seu marketplace de imóveis retomados com a proptech Resale, resultado do primeiro contrato comercial entre o banco e uma startup.

A plataforma digital Seu Imóvel BB traz um estoque de 1.600 casas e apartamentos retomados do banco, usando a tecnologia da Resale, startup com sede em Piracicaba (SP). A parceria entre as duas empresas foi anunciada com exclusividade para a FORBES em outubro de 2019.

Entre os atrativos do marketplace, está o acesso simplificado à compra deste tipo de imóvel, que é tipicamente associada a múltiplos processos analógicos, bem como burocracia e risco. Os imóveis disponíveis através do hub do BB apresentam um desconto médio de até 42% em relação ao valor de avaliação.

A pré-venda começou na semana passada, mas o lançamento oficial da plataforma será em abril. Recursos como inteligência artificial foram usados no marketplace, para definir se os imóveis serão vendidos diretamente pela plataforma, via leilão ou através de imobiliárias.

Segundo Marcelo Prata, fundador e CEO da Resale, o diferencial da plataforma está nessa diversidade de modelos de vendas e parceiros no processo digital de compra dos retomados. “O melhor modelo de venda é aquele que agrega diversos canais: o leilão e os corretores de imóveis têm uma forte penetração junto a públicos de nicho”, explica o empreendedor.

“Por outro lado, a venda direta também pode atingir investidores que querem diversificar seus investimentos, especialmente em tempos de Selic baixa. Por esse motivo, todos [os canais de venda] têm que coexistir dentro da mesma plataforma”, acrescenta.

Os usuários que se cadastrarem no site são avisados antecipadamente sobre os imóveis à venda, podendo comprá-los antes mesmo do lançamento do portal. A pré-venda é um modelo comum no mercado norte-americano, onde, segundo Prata, bancos disponibilizam a base de retomados para um grupo específico de atores do ecossistema, e não a “mar aberto”:

“Os bancos atualmente partem do pressuposto que que quanto mais gente souber [dos imóveis], mais fácil será para vendê-los, portanto anunciam no site, em cadernos impressos, em leilões. Nós trazemos um modelo diferente: identificamos quem é o público destes imóveis e oferecemos as oportunidades a estes potenciais compradores com exclusividade”, aponta.

Entre os 1.600 imóveis disponíveis, 61% são casas e 33% apartamentos. A região com a maior quantidade de ofertas disponíveis no site é o centro-oeste do país, com 39% do estoque, seguida do sudeste, com 31%. Em seguida, vem o nordeste, com 17%, e o sul, com 8%. A região norte tem 5% dos imóveis e o DF tem 1%. O BB tem uma carteira de aproximadamente 5.000 imóveis retomados e a base do novo marketplace deve aumentar progressivamente.

Segundo Samuel Torrecilha, gerente de soluções do Banco do Brasil e um dos envolvidos no lançamento do site, a expectativa é de que o lançamento do Seu Imóvel BB fortaleça a parceria do Banco do Brasil com a Resale, e que o portal seja reconhecido pelos clientes como uma ferramenta onde eles possam encontrar oportunidades.

“As vantagens da nossa parceria com a startup são a visão e solução inovadoras que ela traz, além da agilidade”, afirma.

RESOLVENDO GARGALOS

A Resale, que tem o BTG Pactual como sócio majoritário, tem uma base de quase 20.000 imóveis retomados em sua plataforma. Estes incluem os imóveis do BB, do próprio BTG e outros bancos clientes, como o Santander. Este número também inclui cerca de 15.000 imóveis da Caixa Econômica Federal, que é o maior gerador de retomados no Brasil, com um catálogo estimado de 60.000 imóveis desse tipo.

A Caixa, no entanto, é um caso peculiar para a Resale. A startup não participa da transação de venda dos retomados do banco, mas captura os dados públicos de imóveis à venda e envia leads qualificados de potenciais compradores para o banco.

No momento, a contrapartida para a startup é usar os dados dos imóveis da Caixa para oferecer um grande volume de novidades para os clientes. Porém, a intenção é poder começar um relacionamento comercial, ou seja, entrar nos processos de venda.

“[O projeto com o BB] é um exercício importante, que nos dará musculatura para vender com mais escala”, explica Prata, acrescentando que trabalhar com a Caixa é um grande objetivo da startup, que ganhará em volume de transações, pois o banco atua em imóveis de ticket mais baixo através de programas de habitação popular como o Minha Casa, Minha Vida.

“Por outro lado, podemos ser muito úteis não só no processo de venda, mas no pós-venda, desde o momento da proposta do comprador até o contrato, escritura e registro do imóvel”, explica, ressaltando que este estágio da transação representa o maior gargalo dos bancos que buscam vender esses ativos. “Como a Caixa é o banco que mais vende retomados no Brasil, é também quem tem a maior dor.”

Fonte: Forbes

Deixe seu comentário