Suposto corretor de imóveis é denunciado por vender o mesmo imóvel para pessoas diferentes

Um homem que se dizia corretor de imóveis foi denunciado por vender o mesmo imóvel para duas pessoas diferentes. O anúncio de venda, segundo as vítimas, era feito em paredes e postes.

Uma mulher que não quis se identificar, disse ficou sabendo da venda do apartamento por meio de um anúncio em uma placa, supostamente instalado próximo ao prédio no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife. corretor de imóveis

“Eu visitei o local, só que o apartamento que eu iria ficar era o de cima. Ele me mostrou o de baixo. Achei tudo certo e fechei o negócio”, disse.

Ainda segundo a mulher, a compra do imóvel foi realizada em maio de 2019. Ela informou que pagou ao suposto corretor R$ 70.000 pelo apartamento. No entanto, após o pagamento, o homem informou que a unidade só poderia ser ocupada em 2020. A vítima disse que o corretor alegou que uma outra pessoa estava morando no local e só deixaria o imóvel este ano.

Além disso, a mulher também falou que ficou recebendo do corretor um valor para que ela pagasse um aluguel até que o apartamento fosse desocupado.

“Ele passou a depositar 650 reais de aluguel e nunca me deixou ir no apartamento, porque dizia ter uma pessoa lá. Ele também falava para eu não me preocupar, porque ele estava cuidando de tudo. Quando o aluguel começou a atrasar, fui lá saber o que houve e foi quando descobri uma mulher no meu apartamento, que já tinha comprado um imóvel no mesmo condomínio e o apartamento dela estava ocupada por outra pessoa”, contou.

Já a outra vítima, que também não quis ser identificada, disse que também no ano passado fez a compra à vista de dois apartamentos no mesmo prédio. De acordo com ela, com isso foi gasto um valor total de R$ 1000.00 pago ao mesmo corretor. Ela também contou que conseguiu ocupar uma unidade, mas não sabe o que aconteceu quanto a outra.

“Eu comprei do corretor em que ele falou que o meu imóvel estava ocupado e o da minha filha desocupado. Depois descobri que o meu já tinha sido vendido a outra pessoa. Estou chocada, porque é minha vida inteira de trabalho e eu não queria passar por isso nunca”, desabafou.

Investigação

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Repressão ao Crimes Patrimoniais.

Fonte: JC

Deixe seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui