Mercado imobiliário se reinventa com formato 100% digital

Mercado imobiliário se reinventa com formato 100% digital

Mercado imobiliário – Ações de Marketing Digital contribuíram para a compra de imóveis, atraindo clientes através do Google Ads e Facebook Ads.

As especulações que a pandemia do novo coronavírus frustrasse a recuperação do mercado imobiliário ainda divide opiniões entre especialistas. Apesar do agravante no distanciamento social e o adiamento massivo em compras e aluguéis de imóveis, segundo levantamento do ‘Grupo Zap’, a redução da taxa Selic (2,25% ao ano), anexa à expectativa de queda no valor nominal dos imóveis para 2020 e a digitalização dos serviços, geram dúvidas a respeito do futuro do setor.

Segundo dados do Índice FipeZap, as capitais brasileiras apresentam oscilações no mercado imobiliário. A exemplo de Salvador, o “Informe de Junho de 2020” apresentou uma variação positiva de 0,08% nas vendas de imóveis, com acúmulo otimista de 0,99% ao ano. Outras cidades como Fortaleza (-1,35%) e Recife (-3,88%) registraram quedas no volume total de vendas para 2020.

De acordo com Júlia Ferraz, consultora de marketing da Agência Intermídias, a aliança do setor imobiliário com o mercado digital vem influenciando os resultados positivos das vendas e assim mantendo a categoria estável na capital baiana. A profissional explica que ações em ambientes virtuais têm convertido o público disperso na internet em potenciais clientes para o mercado, além de benefícios inclusos na compra, como a adesão da menor taxa básica de juros da história brasileira.

“Com o processo de aceleração da transformação digital provocado pela pandemia, passamos a observar as rápidas mudanças que o setor imobiliário teve que fazer para se adaptar a uma nova realidade, em que as visitas aos empreendimentos não eram mais possíveis, num primeiro momento, bem como o contato presencial do cliente com o corretor de imóveis, para fechamento da venda”, explica.

A consultora afirma que digitalização passou a ser uma aliada do segmento imobiliário, possibilitando a realização de visitações guiadas pelos empreendimento de maneira virtual, envio de documentação online e assinatura do contrato de compra e venda de imóveis, prezando pela segurança, praticidade e conforto do cliente e dos colaboradores da empresa.

“O Marketing Digital já estava presente dentro do setor imobiliário, principalmente nas fases de atração e consideração do produto, em que os anúncios pagos atraíam os visitantes para o site do anunciante e, a partir daí, eles se tornavam ‘leads’, qualificados através dos materiais e comunicação da empresa. Ao mesmo tempo, os sites, blogs, formulários de contato, redes sociais, dentre outros meios de contato da empresa, como o próprio WhatsApp, já eram amplamente utilizadas e, em muitos casos, chegam a representar mais da metade dos meios de aquisição de novos clientes”, relata a consultora.

Para ilustrar, Júlia traz o case da ‘JVF Empreendimentos Imobiliários’, entidade consolidada no mercado de construção civil da Bahia. Através da intensificação inicial em ações de ‘Inbound Marketing’ propostas pela Intermídias, a JVF migrou para o atendimento 100% online, atraindo novos clientes mesmo durante a pandemia, com anúncios patrocinados em plataformas de publicidade online, a exemplo do ‘Google Ads’ e o ‘Facebook Ads’.

A profissional conta que passou a intensificar estratégias em canais digitais, como e-mail, site e WhatsApp, a fim de criar um novo foco de contato para potenciais compradores. Somente pelo correio eletrônico foram gerados 130 oportunidades e duas vendas. Entre outras ações propostas pela Intermídias, a consultora relata que foram realizados treinamentos com corretores e produção de vídeos com depoimentos de clientes, atraindo cerca de 50 mil visualizações. Os resultados, segundo Júlia, atenderam às expectativas.

Baixe agora o Kit Completo de MARKETING DIGITAL para corretores de imóveis

“Com certeza, essa nova fase de vendas online tem contribuído para que muitas empresas continuem realizando seus negócios, mesmo sob os efeitos da pandemia, como o caso da JVF. Todavia, eu acredito que esse modelo continuará fazendo parte da rotina das empresas e se estabelecerá como uma das novas características do chamado ‘novo normal’, uma vez que há ainda o contribuinte da sustentabilidade”, conclui.

Para entrar em contato com a Agência Intermídias ou ver o case da JVF através do link: www.intermidias.com.br

Fonte:

Deixe seu comentário