Mercado imobiliário registrará novo crescimento em 2021

Expectativa é de empresários do setor, que apontam facilidades no financiamento, menor custo do dinheiro e incentivos, entre outros, como motivadores da expansão do mercado imobiliário

O mercado imobiliário deve repetir neste ano o bom desempenho registrado em 2020, ano no qual a pandemia impactou vários segmentos da economia nacional. Embora ainda, segundo empresários do setor, não seja possível estimar em que níveis percentuais esse crescimento se dará, ele virá com certeza, acreditam.

A expectativa, explica Kelma Camargo, diretora regional em Campinas do Secovi, é que o segmento viverá período de ‘bons ventos”. A diretora conta que em 2020, mesmo com todos os problemas gerados pela chegada do Coronavírus, o mercado imobiliário na cidade registrou crescimento de 5% em comparação a 2019. “Foi um crescimento menor que o do ano anterior. Ainda assim, bem melhor do que diversos outros setores”, conta.

O motivo para o otimismo, ela explica, é a existência de incentivos, de juros mais baixos, e também do custo do dinheiro em patamares mais atrativos. A suspensão pela nova Administração da cidade, da cobrança outorga onerosa até o dia 8 de janeiro de 2023, determinada pelo prefeito Dário Saadi, animou muito os empresários do setor, já que o custo da construção será reduzido.

Outorga onerosa do direito de construir é uma concessão do poder executivo que dá o direito ao proprietário de uma área de construir acima do Coeficiente de Aproveitamento Básico (CAB), mediante uma contrapartida financeira. Assim, é possível ampliar a área construída, respeitando sempre as definições do zoneamento da cidade e das leis de ocupação do solo.

Incentivos

“O fim temporário da cobrança e a implantação em Campinas do Aprova Fácil – sitema que a Prefeitura pretende implantar e que vai simplificar os procedimentos e integrar setores da Administração para fazer análises urbanísticas e reduzir o tempo de análise e aprovação de projetos arquitetônicos, garantindo, como diz o nome, a mais rápida aprovação de projetos -, anima os empresários da construção porque, na prática, representa “um ganho muito grande”, diz Kelma. Segundo ela, a chegada de uma nova equipe na Prefeitura, com novas propostas, também anima muito o setor.

Na outra ponta, Kelma vê também o momento de juros mais baixos, de maior facilidade em financiamentos, além de incentivos, como altamente positivo para a demanda. “São quesitos que motivam o consumidor a adquirir seu imóvel, inclusive os “na planta”, porque isso é muitas vezes mais vantajoso do que pagar aluguel”, destaca.

Segundo a diretora, o crescimento motivado pelos “bons ventos” que soprarão sobre o mercado imobiliário de Campinas neste 2021, poderão ser estimados em percentual nos dois ou três próximos meses. Ela destaca, além disso, que esse crescimento se refletirá na oferta de vagas de trabalho, já que a construção civil movimenta, segundo Kelma, “uma gama incomensurável de atividades e, consequentemente, de geração de empregos. Entre agosto de 2019 e julho de 2020 foram lançados em Campinas, segundo dados do Secovi, 2972 imóveis.

Como ela, Ítalo Pita, Gestor Comercial Regional Campinas da MRV, considera que o mercado imobiliário como um todo vem atravessando um ótimo momento. “A pandemia ressignificou a importância do lar e fortaleceu o vínculo do brasileiro com a casa própria. Campinas especialmente, possui uma grande versatilidade neste setor, uma vez que atende desde o segmento de moradia popular até o médio/alto padrão!”, diz..

Diversificação

Somada a diversificação da demanda na cidade, ele ressalta que o momento do juros é excelente para investir no ramo imobiliário. Com a SELIC no patamar de 2% a.a, o crédito se torna barato voltando os olhos dos investidores para o setor. “Nós, a MRV & Co, entendendo o momento, tendências para o futuro e a busca pela diversificação de funding, lançamos recentemente no Jardim Nova Europa o primeiro produto altamente tecnológica o Safira Ville”, conta.

Pita ressalta ainda que esse movimento do grupo, ao escolher Campinas como cidade pioneira desta nova jornada, mostra a força e relevância da cidade neste âmbito. “Além dele, no final do ano passado, foi lançado o primeiro empreendimento com locação facilitada o Luggo e, em breve Campinas receberá muitas outras novidades”, informa.

Momento anima empresa a planejar novos investimentos

A Construtora Plaenge, que escolheu inaugurar a sua inserção no Estado de São Paulo por Campinas, tem participação no cenário otimista que envolve o mercado impobiliário da cidade. A empresa comemora a boa aceitação do Vitra, no Cambui, lançado recentemente, que vendeu todos os 64 apartamentos, tendo sido 70% das unidades em menos de três meses do lançamento.

Animado com a velocidade dos negócios na cidade, Daniel Turchetti, responsável regional da Plaenge Campinas, conta que a empresa veio para Campinas para ficar e, ainda em 2021, brindará a cidade com um lançamento de altíssimo padrão, no Cambuí.

Ele conta ainda que a Plaenge prevê novos investimentos em VGV (Valor Geral de Venda) da ordem de R$ 500 milhões nos próximos três anos. Neste mesmo período, estima gerar mais de 600 empregos diretos.

O grupo, segundo Turchetti, se diferencia pela sofisticação dos acabamentos entregues nas unidades e por ser a única construtora a oferecer um Seguro de Entrega aos seus clientes.

“Sem dúvida é uma exclusividade que fideliza o cliente Plaenge, que vive a conquista de um sonho e pode dormir com tranquilidade”, ressalta. A flexibilidade das plantas, explica, e a personalização dos ambientes também agradou este exigente público.

Fonte: Correio

Deixe seu comentário