Com fôlego novo, mercado imobiliário assiste à volta dos investidores

Expectativa positiva de melhora do mercado imobiliário anima quem deseja adquirir imóveis para revenda ou locação

Investir em imóveis, seja comercial ou residencial, sempre foi um negócio lucrativo. Segundo Vinícius Costa, presidente da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH), a facilidade de se investir em imóveis é fator primordial para atrair interessados nesse segmento de mercado. Diferentemente da bolsa de valores, por exemplo, em que o investidor deve ter um conhecimento mais apurado do setor, investir com muita cautela e o risco de perdas é consideravelmente elevado, o mercado imobiliário dá uma maior segurança por não exigir um conhecimento muito elevado do setor. Em muitos casos, ele ressalta, uma boa pesquisa é suficiente para auxiliar na escolha do negócio.

Vinícius Costa explica que, nos últimos anos, com a retração do mercado, houve considerável queda na procura de imóveis por investidores. Mas com as expectativas positivas de melhora do mercado, a tendência é que os investidores voltem o capital para esse segmento. “Junto a isso, as expectativas positivas do mercado ajudam os que querem investir em imóveis, tanto para revenda quanto para locação. Isso porque, no ramo residencial, com a estabilização da economia e queda da taxa Selic, a perspectiva é de que os financiamentos habitacionais se tornem mais acessíveis e, com isso, a procura pelos imóveis aumente também”, acredita o executivo.

De acordo com Vinícius Costa, havendo muita procura, a tendência é que o preço do produto suba, assim como o lucro. “O mesmo raciocínio se aplica à parte comercial. A estabilidade econômica do país gera confiança no setor de produção e comercialização, que, por consequência, sente-se mais otimista em adquirir novas sedes ou até mesmo a partir para locais maiores por locação, o que financeiramente representa investimento maior”, afirma.

VARIAÇÃO DE MERCADO

Porém, antes de recorrer ao segmento, ele observa que é necessário ter em mente que a aquisição de imóvel como forma de investimento nem sempre dá um retorno tão imediato se comparado com a própria bolsa de valores, devido à variação do mercado. “Um imóvel não é algo que se vende de um dia para o outro, a menos que você esteja pedindo um preço muito abaixo do mercado. Por conta disso, o dinheiro investido fica imobilizado e não pode ser usado rapidamente caso seja necessário”, alerta o presidente da ABMH.

“Por isso, antes de investir, é importante saber que não se trata apenas de uma compra e venda, ou seja, o custo não gira somente pela compra do bem. São devidos impostos, taxas para cartório, IPTU e, em alguns casos, até condomínio, sendo que nesses dois últimos a inadimplência poderá ocasionar a perda do imóvel, assim como ocorre em financiamentos habitacionais. “Portanto, se você pensa em depositar suas reservas na aquisição de um imóvel para revenda ou locação, avalie também os custos a curto, médio e longo prazos para evitar que a expectativa de lucro se transforme em prejuízo efetivo”, adverte Vinícius Costa.

Criada em 1999, a ABMH é uma fundação mantida por mutuários. É uma entidade civil sem fins lucrativos e que tem como objetivo difundir as formas de defesa de quem compra imóveis, em juízo ou fora dele, com o efetivo cumprimento dos dispositivos legais. Atualmente, tem representações em nove estados, além do Distrito Federal, e presta consultoria jurídica gratuita.

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!