Corretora de imóveis tem prisão decretada por aplicar golpes em clientes no Rio

Uma corretora de imóveis que deu golpes em 20 famílias está foragida da Justiça do Rio. Vanessa Maiolino Regis de Souza, de 42 anos, vendeu terrenos no subúrbio e na Zona Oeste do Rio e ficou com o dinheiro. Ela teve a prisão decretada e o Ministério Público pede a ajuda da população para localizar a golpista.

“Estou muito aborrecido e muito chateado comigo mesmo, porque é inacreditável que eu pude me levar nisso, mas foi naquela euforia de comprar um terreno, de ter uma casa própria. Investi minhas economias, levei um bom tempo ainda para superar isso, mas não me conformo porque não é certo. E ela continua na praça no dia a dia, fazendo a mesma coisa”, lamenta uma vítima, que perdeu R$30 mil.

O promotor público Alexandre Themístocles, que investigou Vanessa Maiolino, pede a ajuda da população para chegar ao paradeiro da golpista.

“A corretora de imóveis Vanessa Maiolino responde à justiça do Rio de Janeiro pelo estelionato contra 20 famílias. O Ministério Pública conta com a colaboração do Rio de Janeiro para dizer o paradeiro dessa corretora de imóveis que causou graves prejuízos financeiros”.

Conselho recebe denúncias contra inscritos

Após a divulgação do caso, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-RJ) informou que, caso haja alguma falha no atendimento efetuado por um corretor de imóveis inscrito na instituição, é necessário apresentar um termo de representação contra o profissional na sede do Conselho (Avenida Presidente Vargas 417, 19º andar – Centro/RJ) ou nas delegacias regionais do Creci-RJ espalhadas por todo o Estado do Rio de Janeiro. A listagem completa dos endereços está disponível no portal www.creci-rj.gov.br.

O conselho pede a qualificação do denunciante quanto do denunciado, além da descrição em detalhes do fato que levou à apresentação da representação. “É importante anexar comprovantes para caracterizar o que está sendo alegado, além de colocar a data e assinar o documento”, diz o Creci.

A partir do Termo de Representação será instaurado um processo disciplinar que, dependendo do caso, poderá resultar em uma advertência verbal, passando por multas ou suspensão da inscrição por até 90 dias, podendo chegar até mesmo ao cancelamento da inscrição, com apreensão da carteira profissional. Outros contatos do Creci são os telefones (21) 3514-1821/1853 /1863 / 1879 ou o e-mail [email protected]

Fonte: G1

Deixe seu comentário