CEF veta moradia em rua de terra

Desde a última sexta-feira, o programa federal não autoriza contratos referentes a imóveis localizados em vias não pavimentadas

A Caixa Econômica Federal (CEF) não vai mais autorizar contratos do Minha Casa Minha Vida para a aquisição de imóveis em ruas de terra. A medida é válida desde a última semana. Apesar de ainda não ter dados de quantas pessoas serão afetadas pela norma, o banco pondera que a maioria dos imóveis que podem ser acessados pelo programa se encontram em vias pavimentadas. Bauru ainda possui cerca de 3 mil quadras de ruas de terra.
O gerente regional de negócios da construção civil da CEF, Olair Ribeiro Filho, explica que os empreendimentos autorizados pelo governo federal junto às construtoras já trazem esse impedimento. “Tanto, que muitas construtoras providenciam a pavimentação das ruas onde os imóveis são construídos”, pondera.

A resolução interna é dirigida aos clientes individuais que procuram o programa Minha Casa Minha Vida. “A decisão é válida para contratos a partir de 11 de fevereiro. As ruas dos imóveis pretendidos precisam ser pavimentadas, independentemente da faixa de renda familiar que o interessado esteja inserido”, explica.

Para o gerente, a medida não trará efeito negativo na procura pelas linhas de financiamento do Minha Casa Minha Vida. “A procura pelo programa está bastante aquecida. E a maioria ainda busca imóveis nos empreendimentos já aprovados. Porém, não vejo grande impacto na busca pelas linhas individuais. A maioria dos imóveis que podem ser financiados pelo programa já se encontram em ruas asfaltadas”, pondera.

De acordo com Olair, em Bauru podem ser financiados imóveis de até R$ 100 mil para famílias com renda de até 10 salários mínimos. O valor do subsidio federal varia conforme a renda familiar e pode chegar a R$ 17 mil, de acordo com a CEF. “Além disso, os imóveis precisam ser novos, com ‘habite-se’ expedido a partir de 26 de março de 2009. E o imóvel também não pode ter sido habitado, nem já ter sido negociado”, explica.

Como a resolução entrou em vigor somente no final da última semana, Olair afirma que ainda não há reclamações na CEF por conta do impedimento. “Acredito que daqui 30 dias poderemos avaliar como a norma influenciou na procura pelo financiamento. Mas não acredito em grandes impedimentos. Até porque, a maioria dos loteamentos aprovados na cidade já saem com pavimentação”, observa.

De acordo com informações da Caixa, em 2010 foram contratados 688 unidades novas enquadradas na modalidade individual do Minha Casa Minha Vida, em bauru e região.

Por: Lígia Ligabue

Fonte: Jornal Cidade de Bauru

Deixe seu comentário