Passo a passo para largar o emprego e virar dono de imobiliária

Escritório todo o dia, no mesmo horário, com chefe pressionando. Você está cansado de ser funcionário? Se o seu sonho é ser empreendedor, saiba que abrir uma imobiliária pode ser a solução.

Entre as diversas vantagens do setor está o ritmo de crescimento, o avanço é quase sete vezes maior do que o PIB, além de contar com apoio estatal no crédito imobiliário. E não se trata de algo de momento. No futuro, por conta do alto déficit habitacional no país, o segmento deve continuar liderando entre os diversos setores da economia.

De acordo com a pesquisa Déficit Habitacional Municipal no Brasil, do Ministério das Cidades, há falta de, pelo menos, 7 milhões de unidades para habitação, sendo 85% delas em áreas urbanas. E construir esse tanto de casas e apartamentos não é algo que vai acabar logo.

Muitas estimativas apontam para um mercado forte por pelo menos mais duas décadas. Quer ficar ainda mais convencido que o mercado imobiliário é uma boa aposta de investimento? Leia, então, o passo a passo que preparamos para você virar dono de uma imobiliária:

Faça uma autoanálise Antes de conhecer a fundo o mercado que pretende entrar, é preciso fazer uma avaliação da própria personalidade e reconhecer limitações. Para isso, seja sincero: você reclama do chefe, mas seria capaz de trabalhar sem supervisão? E, mais, está preparado para a possibilidade de ter oscilações no faturamento?

Se respondeu não para essas perguntas, faz mais sentido que o seu destino esteja em ficar na sua zona de conforto como um funcionário. Responder perguntas como essas são fundamentais para não se arrepender depois. O dono de uma imobiliária se envolve integralmente no trabalho, precisa ser arrojado e entrar de cabeça no setor. E, o mais importante, precisa saber vender.

Entenda o mercado imobiliário

O seu perfil é empreender mesmo? Então, saiba que não adianta nada apresentar os pré-requisitos para uma carreira no mercado imobiliário se você não sabe enxergar as melhores oportunidades. E isso tem muito a ver com a região em que você vai investir. Pesquise muito e faça uma lista dos bairros que têm recebido mais lançamentos ou que possuem grande procura para compra (ou aluguel). Além disso, descubra por que as pessoas querem morar e trabalhar nessas regiões. Entendendo o mercado, você pode enxergar uma boa oportunidade a médio prazo em determinada região e chegar nela antes do que todo mundo. Entender o mercado também envolve conhecer os hábitos dos novos clientes.

Por exemplo, nem todo mundo sai da casa dos pais para formar uma nova família. Cada vez mais, os jovens procuram uma nova casa para morar sozinhos ou dividir com amigos. Não é à toa que os apartamentos de um dormitório estão em alta por aqui.

Estude Participe de eventos focados no mercado imobiliário, faça cursos e se especialize. Nesse caso, estudar o Direito Imobiliário é importante para não ter problemas com a Justiça e para construir uma imagem ética e transparente do seu negócio. E opções para estudar não faltam. Além de cursos profissionalizantes, algumas universidades já oferecem a graduação em Tecnologia em Negócios Imobiliários e pós-graduação em Direito Registral Imobiliário ou em Real Estate. E o melhor de tudo: se você não tem tempo para ir até a instituição, é possível estudar a distância.

O conhecimento teórico vai ajudá-lo na prática. Mas só o dia a dia mesmo para você perceber alguns truques do jogo imobiliário. Cumprindo essas etapas, fica difícil cometer vacilos na hora de vender um imóvel. Escolha a área de atuação Após conhecer todos os detalhes do mercado por meio de pesquisa e aulas, chegou a hora de colocar a mão na massa.

A próxima etapa é decisiva: escolher a área de atuação. Aqui, ter todas as informações do bairro na ponta da língua é fundamental para agradar os potenciais compradores. Dependendo do cliente, você precisa fornecer as informações das escolas mais próximas, da situação do trânsito e dos supermercados mais baratos da região. E nada de apostar no conforto. Trabalhar do lado de casa pode ser ótimo, mas se a sua região estiver com poucas perspectivas para o setor, é uma comodidade que pode custar caro.

Crie uma rede de contatos

Além de estudar, aproveite os cursos e eventos para criar uma extensa rede de contatos profissionais. Quem sabe você não conhece um bom profissional lá para formar a sua equipe. A princípio, vale mais a pena contar com uma equipe pequena, mas qualificada e confiável, do que tentar se virar sozinho e, no fim das contas, não conseguir fazer nada.

O relacionamento com outras pessoas deve ser estendido para fora da classe de profissionais. Converse com frequência com moradores, porteiros e síndicos dos prédios vizinhos. Certamente, eles têm informações privilegiadas que reduzem o seu trabalho.

Fonte: Blog Leardi

Deixe seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui