‘Minha casa, minha vida’ poderá financiar imóveis até R$ 170 mil

Maria Clara Serra

O valor máximo de imóveis financiados pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em cidades com mais de um milhão de habitantes deve subir dos atuais R$ 130 mil para R$ 170 mil. O novo valor, pedido pelo Conselho Curador do FGTS, visa a adequar o financiamento à nova realidade econômica das famílias brasileiras, já que o teto atual é vigente desde setembro de 2007. Como os imóveis enquadrados no “Minha casa, minha vida” acompanham o valor do FGTS, as moradias construídas dentro do programa também poderão chegar a R$ 170 mil.

A proposta está nas mãos da bancada do governo no Congresso Nacional para estudo, e deve ser reapresentada para aprovação até o fim de janeiro. Segundo Maria Henriquieta Alves, assessora técnica do Conselho Curador do FGTS, o novo teto entrou em pauta na última reunião do grupo, em 14 de dezembro, mas os governistas pediram vista, ou seja, eles vão analisar a proposta e devolvê-la com a aprovação ou um novo valor, que deverá ser votado.

A promessa era que a proposta seria deliberada em janeiro. Como o tema é considerado prioridade, o conselho espera que a aprovação da mesma não passe deste mês — afirmou Maria Henriquieta.

Mais qualidade

Com o novo valor, a expectativa do conselho é ampliar a capacidade de financiamento da população e a qualidade dos imóveis oferecidos por meio do programa do governo:

Se o teto seguir o mesmo valor, as unidades vão se desvalorizar, pois as construtoras terão que diminuir cômodos e até a qualidade dos imóveis para adequá-los aos limites do programa. Para aqueles que podem pagar um pouco mais, é a possibilidade de ter uma moradia mais digna e sustentável.

No quesito renda permitida para participar do programa — hoje o limite é de R$ 4.900 —, a Medida Provisória (MP) 514/2010 aumenta o teto de rendimento familiar. Pelo texto, o valor voltaria a ser de dez salários mínimos (R$ 5.400). Mas essa matéria está parada no Congresso Nacional devido ao recesso de fim do ano.

Fonte: Extra

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!

9 COMENTÁRIOS

  1. Pois é..vai ajudar bastante a vida dos corretores mas se for parar pra refletir isso é mais um pretesto que as construtoras levarão em consideração para supervalovizar ainda mais os empreendimentos, o que tambem gerará um maior poder de financiamento para a população e, sem querer ser pessimista mas sim visionária, isso poderá virar uma bola de neve e acabará acontecendo o mesmo que aconteceu nos EUA com a crise imobliária. E se os EUA, sendo uma potência, ainda colhe amargos frutos daquele desastre financeiro o que acontecerá com nossa “Pátria Amada” que está ainda em pleno desenvolvimento???? COMPREM COM CONSCIÊNCIA!!!

  2. É uma iniciativa louvável em vários sentidos, no sentido econômico, no sentido de movimentação da construção e desenvolvimento no país, já para nem falar nos empregos que está a gerar. Somando a tudo isso um preço justo a pagar no financiamento de um imóvel e um sistema financeiro de boa saúde com um juro acessível. E contrariamente ao que foi dito acima não, não vai acontecer o que aconteceu nos estados unidos porque aqui o sistema financeiro além de ser diferente faz uma avaliação de cada imóvel financiado, impedindo a má gestão e avaliação dos imóveis e portanto o crédito mal parado, e como o valor do imóvel é sempre sub-valorizado pelo banco, o mesmo caso necessite de o retomar nunca perderá dinheiro no mesmo, pois o cliente dará sempre uma entrada e no caso específico do programa minha casa minha vida, esses imóveis tem uma procura muito grande que ainda está sendo maior que a oferta. Por isso amigos e clientes não tenham nada a temer, façam as suas contas, tirem todas as dúvidas, sejam acessorados por um corretor da vossa confiança, e se precisarem tirar dúvidas podem contar comigo, esclarecerei todas as que me forem possíveis. Nuno Cravo cel: (85) 8680-2112 ou (85) 9151-0822 ou acessem ao meu website: http://www.habifortaleza.com . Fico no vosso aguardo, sejam bem vindos!! e bons negócios.

  3. Deveria, com urgência, repensar o mísero valor de R$ 80.000,00 definido para as cidades do interior. Este valor é de terreno e não de casa construída. Devido a este valor baixo, somos obrigados a conviver com construtores (as), oferecendo “casinhas” de 45 m² construído em terrono de 100 m², com baixima qualidade de construção. Vamos acordar minha gente. O teto de R$ 80.000,00 chega a ser cômico.

  4. Sim, em muitas cidades com numeros de população de mais de um milhão de habitantes precisaria sim de valores que a demanda de mercado necessita não é de 80 mil reais.
    Moro e trabalho em Campinas, sou corretora de Imóveis , o valor de R$170.000,00 reais hoje encontra-se na periferia .Poderia abranger este valor e intuito de ajudar deixando ser vendido imóveis de 3º por ser maiores desde que esteja muito bem conservado, já que os novinhos são muito pequeno e construção frageis.
    Gostaria que repensasse sobre os imóveis usados que esteja em otimo estado até o valor de 170 mil .
    Abraços e sucesso.
    Maria Lucia Giampaoli

  5. Aqui a CEF financia imoveis até R$ 100.000,00 no MCMV, mas é pouco comparado aos valores de terrenos que temos na região, não sobra nada para construir.
    Esses valores deveriam ter um outro tipo de “correção” para acompanhar o mercado imobiliario regional e não Federal, pois a realidade lá no Amazonas não é a mesma que em Santa Catarina. Isso deve mudar urgentemente.
    Abraço a todos
    Arsanjo

  6. Moro em São Carlos S.P., aqui as casas do programa minha casa minha vida, é uma vergonha, não tem condições de trabalhar com elas……..

    Alexandra Corretora de Imoveis

  7. Penso que a nossa Presidenta, como mulher coragem que é e tem mostrado isso, ela vai aprovar para a venda no programa minha casa minha vida o valor até 250 mil(total) com 15% de entrada, imoveis usados também para Campinas e Paulinia , os imoveis de menor valor são frageis,acho que podemos exigir um pouco mais dos construtores se forem novos, usados já estão feito o acentamento da cosntruçao e os riscos são menores para a Caixa que fica com o imovel em garantia do pagamento. Um otimo negocio para todos os clientes , proprietários e corretores.

  8. Gente estamos falando de casas para que pode pagar uma certa quantia, mesque que u valor baixinho, mas depois de ler jornal uma senhora com problemas de saúde e mora com um filho de 10 anos em um galinheiro…Presidenta Onde vamos parar com a pobreza nas nossas cidades…Moro em Campinas e estou com um nó na garganta desde que li a Matéria.Isso é Um desespero para nós mães e pessoas que tem um coração ao lugar de pedra …Amo meu país ,vamos ajudar esta senhora…
    Eu Maria Lucia Giampaoli, corretora de imóveis peço ajuda Para esta senhora que mora no Pq Oziel em Campinas

Deixe uma resposta