Mercado imobiliário começa a decolar depois de período de dificuldades

Números mostram que as vendas no mercado imobiliário vêm crescendo nos últimos meses, principalmente entre os empreendimentos de luxo, onde o avanço foi de 70%.

Depois de um longo período de dificuldades, o mercado imobiliário começa a decolar. Os números falam por si. Em São Paulo, as vendas em setembro foram 50% maiores do que a média histórica para o mês, e em todo o ano de 2019 o número de lançamentos deverá ser o dobro de 2018. Entre os empreendimentos de luxo, o resultado é ainda melhor, com avanço de 70% das vendas nos últimos 12 meses.

Em Minas Gerais, segundo levantamento da OLX, a busca por casas e apartamentos para locação cresceu 29% de janeiro a setembro, em relação ao mesmo período do ano passado. No crédito imobiliário, as taxas recuaram do patamar de 11% em 2017 para os atuais 6,75%, o que fez disparar o número de financiamentos.

Com o mercador imobiliário bem, toda a economia prospera. Segundo estudo desenvolvido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apenas as reduções de juros da Caixa para o financiamento de imóveis poderão gerar um impacto de R$ 5,2 bilhões no comércio.

Em 2020 termos um ano auspicioso para o mercado imobiliário’, diz presidente do Creci

Projetos que estavam ‘congelados’ podem ser executados e aquecer o setor

O setor imobiliário deve crescer a partir de 2020, segundo previsão do presidente do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), José Augusto Viana Neto. “Nós vamos ter, seguramente, um ano auspicioso para o mercado imobiliário com muita geração de emprego e renda”, disse. A afirmação ocorreu durante a entrega de certificados para novos corretores, na manhã desta quarta-feira, na unidade do Creci em São José dos Campos.

A aposta está sobre os projetos aprovados ou que estavam em processo de aprovação, mas que não foram executados devido à crise pelo qual o país enfrenta. Outra informação apontada pelo presidente do Creci é em relação aos investimentos no setor que, segundo ele, aumentam com a queda da taxa Selic e a incerteza sobre a bolsa de valores.

Presidente do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), José Augusto Viana Neto
Presidente do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), José Augusto Viana Neto

“Com isso, as pessoas passam a investir no mercado imobiliário. Nós estamos tendo um número de lançamentos muito grande. Para termos uma ideia, a cidade de São Paulo lançou no mês passado 30 mil unidades. É muita coisa”, avaliou.

Mesmo sem mencionar índices sobre esse crescimento, José Augusto Viana ressalta que esse reflexo deve atingir também a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte). De acordo com ele, a região tem inúmeros empreendimentos que serão iniciados e projetos que estão em processo de aprovação.

“Nós estamos em uma região que é uma das mais importantes não do estado de São Paulo, mas do Brasil. Aqui nós temos indústrias que têm interesse fora do país. Então, assim que retomar esse desenvolvimento acredito que conseguiremos ver os reflexos em geração de empregos e rendas”, completou.

Com Infomações: Estado de Minas

Deixe seu comentário