Imóvel na praia aquece mercado de usados

Depois de dois meses de baixa, as vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo reagiram em novembro, segundo pesquisa realizada pelo Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo). A alta de 7,45% em relação a outubro foi puxada, principalmente, pelas negociações efetivadas no litoral do Estado, que subiram 27,77%.

A grande São Paulo, representada pelas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco, também apresentou crescimento expressivo, de 6,44%. Já nos mercados da Capital e do interior houve queda de 2,91% e 0,82%, respectivamente.

O presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, explica que a renda extra que as famílias têm no final do ano, como o 13º salário e os bônus de participação em lucros e resultados, contribuíram para o aumento das vendas.

Dos 1.079 imóveis vendidos em novembro, os apartamentos representaram 50,05% do total de negócios formalizados. Em relação ao valor, imóveis até R$140 mil foram os preferidos no interior (52,41% do total) e no litoral (52,28%). Na região do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco, essa faixa subiu para até R$180 mil (60,47%). Na Capital, prevaleceram os imóveis com preço final superior a R$200 mil, que totalizaram 66% das vendas.

Pagamento à vista

Maioria dos imóveis na praia foi paga à vista pelos novos proprietários. Diferente do que acontece no mercado das outras regiões, no litoral a venda à vista somou 57,31% das negociações, enquanto o financiamento bancário respondeu por 35,22%. A venda feita a prazo pelos proprietários ficou em 7,16% e os consórcios tiveram participação de apenas 0,30%.

Nas demais regiões, predominou o financiamento. Os bancos financiaram 65,78% dos imóveis vendidos na região do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco – as vendas à vista responderam por 31,05% do total, as financiadas pelos proprietários por 1,58% e as efetivadas por meio de consórcios, também por 1,58%. No interior, os bancos bancaram 54,14% do total vendido e, na Capital, 53,11%.

Reflexo nos preços

A reação das vendas se refletiu no índice estadual de preços de imóveis usados residenciais (IEPI-UR/Creci-SP). O índice de novembro cresceu 11,41% em comparação com outubro, quando havia registrado queda de 3,04%. Em setembro, quando foi lançado, ficara negativo em 2,12%.

O maior preço de metro quadrado de imóvel usado do Estado foi encontrado em Bertioga: R$6.578,94 por apartamentos de 1 dormitório em bairros da região nobre da cidade.

O menor preço referiu-se a casas de 3 dormitórios, localizadas em bairros mais distantes das áreas nobres e do centro da cidade de Bauru. Nessas regiões, o metro quadrado ficou entre R$200,00 e R$866,66.

Fonte: R7

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta