Crise financeira estimula prática de permuta no mercado imobiliário

0
1811

Modalidade cresceu 50% no último semestre; campo de busca do site da Imovit já conta com filtro para trocas

Devido à crise financeira instaurada no Brasil nos últimos meses, a procura por possibilidades alternativas de compra e venda de imóveis aumentou. A situação econômica dificulta obtenção de crédito e ainda afugenta quem tem um dinheiro guardado, que prefere manter a poupança a investir numa casa nova. O sócio-proprietário da Imovit Inteligência Imobiliária, Daniel Aranovich, conta que negócios fechados com permuta aumentaram cerca de 50% no último semestre em sua empresa.

Esse tipo de transação pode facilitar a vida de duas famílias de uma só vez, mas, para isso, exige maior empenho por parte da imobiliária envolvida. Para atender ao aumento da demanda, a Imovit ofereceu um treinamento específico para a equipe. “Mostramos as modalidades de permuta, seus formatos de contrato e impactos tributários”, conta Aranovich. Além disso, é necessário buscar clientes dispostos a trocar um imóvel pequeno por outro maior e ligá-los a clientes que queiram o oposto. “É um processo de garimpo, mas que trouxe resultados”, conclui.

Segundo pesquisa do Google Think Real Estate, 60% dos consumidores utilizam a internet como canal inicial na busca por imóveis, por isso além do treinamento aos funcionários, a Imovit incluiu no site da empresa um botão próprio para quem busca esse tipo de negócio. Em “Aceita Permuta” o cliente visualiza apenas os imóveis que os proprietários sinalizaram interesse na troca. A facilidade que este comando traz, bem como outras possibilidades que se encaixam na medida de quem está navegando no mercado imobiliário, rendeu à Imovit o prêmio “Site do Ano” no Mídia Festival 2016, no qual concorreram portais dos mais diversos segmentos e atividades da região Metropolitana de Campinas, Jundiaí e Americana.

Vantagens tributárias

Além de resolver duas necessidades mais rapidamente, a permuta gera um melhor aproveitamento do imposto de renda devido, seja para o comprador como para o vendedor. “Sai um bem de um valor e entra outro de um valor menor mais uma quantia em dinheiro, logo, o comprador pode beneficiar-se da Medida Provisória do Bem e não pagar o lucro imobiliário e, o vendedor, poderá obter uma redução no ganho de capital gerado com o referido negócio”, explica Daniel Aranovich. Essa MP libera o imposto de ganho imobiliário se o valor da venda for aplicado na compra de outro imóvel em até seis meses e cada pessoa pode usar esta isenção uma vez a cada cinco anos.

Com essa diferença de valores, quem procura um imóvel menor, além de conseguir repassar a casa que já é muito grande para suas necessidades, fica com um dinheiro extra no bolso. Já quem busca um lugar maior para viver, desembolsa, de fato uma quantia menor em espécie. “Isso demanda mais trabalho por parte da equipe da Imovit, mas o resultado final é excelente para as duas famílias”, comemora Aranovich.

Fonte: residenciais.org

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!