Creci intensifica ações contra plantões piratas

Conselho ressalta importância das denúncias para o combate das práticas ilegais na profissão

O setor de fiscalização do Creci-RJ está atento aos acontecimentos referentes ao mercado imobiliário e combate diariamente o exercício ilegal da profissão do de corretor de imóveis. A procedência do trabalho deste setor não se resume apenas às autuações contra pessoas não habilitadas perante o Creci-RJ para exercer a corretagem imobiliária, mas também àqueles que não oferecem condições mínimas de trabalho para o corretor de imóveis e conforto aos clientes.

Alguns do locais onde a fiscalização do Conselho mais atuou foram Irajá, Vila da Penha, Jacarepaguá, Recreio dos Bandeirantes, Campo Grande, dentre outros inclusive no interior do estado.

De acordo com o art. 4º da RESOLUÇÃO-COFECI Nº 1.256/2012:

Art. 4º – Os plantões de vendas instalados junto a empreendimentos prontos ou em construção deverão oferecer condições mínimas de utilização, de modo a preservar a dignidade humana de seus usuários (Corretores e clientes), tais como aeração, instalações sanitárias, mobiliário, equipamento e pessoal especializado que garantam o mínimo aceitável de higiene, conforto e segurança.

Os plantões piratas possuem estruturas precárias montadas sem as mínimas condições exigíveis para atender o cliente e nem as necessidades básicas do trabalhador, situação esta que a fiscalização busca extinguir do mercado, a fim de valorizar a profissão do corretor de imóveis.

– A fiscalização nos plantões piratas busca inspecionar as condições implantadas nos estandes, tanto para o corretor de imóveis, quanto para o cliente que será atendido. A estrutura precisa possuir as mínimas condições de trabalho, em relação à equipamentos, sanitários e higienização – esclarece Marcus Limão, chefe do setor de fiscalização do Creci-RJ.

Ainda de acordo com Marcus, em muitas situações o próprio corretor agradece aos fiscais pelo trabalho realizado :

– Muitas vezes pegamos plantões piratas em situações muito precárias com até oito corretores trabalhando, que não gostariam de estar ali, mas são forçados a trabalhar naquela estrutura montada pela empresa em que fornecem serviço. Nesses casos o próprio corretor imobiliário nos agradece pelo trabalho realizado, porque assim, é exigido da empresa melhores condições de trabalho.

Vale ressaltar que o Creci-RJ tem fiscais em todas as áreas do Rio de Janeiro, e estão sempre atentos e atuando contra a ilegalidade na profissão do corretor de imóveis, entretanto, é fundamental que o próprio corretor de imóveis denuncie essa prática ilegal.

– É de extrema importância que o profissional denuncie. Além de tornar nosso trabalho mais eficaz, o combate contra essas os plantões piratas resulta na valorização da classe – finaliza o chefe da fiscalização do Conselho.

Quer conhecer uma nova opção para divulgar seus imóveis? – Clique Aqui!

Fonte: Creci-RJ

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!