Início Blog Colunistas Corretor de imóveis autônomo. A melhor opção?

Corretor de imóveis autônomo. A melhor opção?

O comércio imobiliário mudou muito nos últimos cinco anos. As construtoras quase não concedem mais exclusividade para as imobiliárias. De modo geral, o comércio está aberto para todos os corretores, sejam eles autônomos ou não. No entanto, sem a imobiliária de fundo, uma das vantagens em ser independente é ter sua comissão integral e, com a nova lei do super simples, tornou-se fácil adquirir o CNPJ e pagar menos impostos.

Quando um corretor de imóveis decide trabalhar sozinho, isto é, de maneira autônoma, ele está escolhendo um caminho onde terá mais liberdade no trabalho. Poderá escolher seus clientes, bem como que horas começa e termina o próprio expediente. A independência, sobre esse aspecto, é seu maior trunfo.

Ser corretor de imóveis autônomo, no entanto, não representa “solidão”. As próprias construtoras fornecem treinamentos, confecciona contratos, analisa o crédito e distribuição de material de combate sem nenhum custo, basta apenas você agregar seus contatos no material e distribuir.

Os stands de vendas estão sempre a disposição para qualquer corretor autônomo que queira um espaço para atender seu cliente e fazer apresentação do local da obra ou mostrar a maquete do empreendimento ou o imóvel decorado. A era das imobiliárias estão acabando infelizmente por falta de novas criatividades e por uma nova visão dos grandes construtoras.

Não quero dizer que ser um corretor autônomo seja a melhor opção. Para tanto é necessário muito tempo para se dedicar a montar sua própria carteira de cliente, se capacitar diariamente, buscar parceiros, se relacionar com construtores, planejar, desenvolver e colocar em ações suas ideias de marketing. Atender seus clientes de forma personalizada e exclusiva, manter-se disponível diuturnamente, estar sempre atualizado das tabelas e forma de pagamento de todos os imóveis com qual você trabalha, criar banco de e-mail com imagens, assuntos criativos, enfim, são inúmeras variantes para se destacar no mercado.

Para além das dicas acima, crie uma marca atraente; uma ficha de atendimento ao cliente mais conhecido como (FAC) com dados que servirá para futuros contatos; formulário de compra e vendas; faça um cartão de visita; esteja atento aos lançamentos imobiliários. Enfim, ser corretor autônomo é uma verdadeira responsabilidade. Porém, caso não queira ser independente e ganhar 100% de sua comissão, a melhor opção é continuar nas imobiliárias. Esse caminho é percorrido, acredito eu, por 99% dos corretores em início de carreira. A maioria deles passaram por alguma imobiliária, seja para estágio ou como corretor efetivo.

Relaciono, a seguir, 10 itens que as imobiliárias continuam fazendo corriqueiramente, sem efetivo sucesso:

1 – Ficar no estande de vendas sem “estrutura”;

2 – Ser mandado para o escritório que não aparece cliente;

3 – Ser chamado à atenção pelo gestor na frente dos outros;

4 – Panfletar em nome da imobiliária (sem seus dados);

5 – Não contar com ajuda de custo da empresa;

6 – Ser cobrado insistentemente por resultado pelos gestores que não fornecem nenhum tipo de ajuda/treinamento;

7 – Ser obrigado a fazer “ligação” (prospecção ativa);

8 – Ter que trabalhar aos finais de semana e feriados;

9 – Ter que cumprir horários nos plantões;

10 – Ter que bater metas e mostrar resultados.

 

 

Deixe seu comentário

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta