Início Mercado Imobiliário Como a portabilidade pode ser usada no financiamento de imóveis

Como a portabilidade pode ser usada no financiamento de imóveis

Você sabe o que é portabilidade de crédito? Saiba como ela funciona e como pode ser utilizada no financiamento de imóveis neste artigo.

A portabilidade de crédito é uma maneira de melhorar as condições de pagamento de uma dívida. Isso acontece migrando de uma instituição financeira para outra. Essa operação pode ser feita com diversas linhas de crédito, incluindo o financiamento de imóveis.

Com a taxa Selic em queda, os juros do crédito imobiliário também caíram. Ainda assim, muitos brasileiros estão presos às condições de financiamento de quando realizaram a transação. Assim, eles seguem pagando taxas acima da média de mercado. A portabilidade de crédito permite que a dívida seja transferida para outro banco que ofereça taxas em linha com o mercado. Isso permite uma grande economia.

O que é portabilidade de crédito? – financiamento de imóveis

A portabilidade de crédito é uma opção para quem deseja reduzir as taxas de juros de uma dívida. Basicamente, é possível trocar uma dívida cara por uma mais barata. Isso acontece porque alguns bancos possuem taxas de juros mais caras que as da concorrência. Se é o caso do seu banco, é possível solicitar a portabilidade de crédito para uma instituição que possua melhores condições.

Além de taxas de juros mais atrativas, é possível requerer a portabilidade de crédito para um banco cujo qualidade de atendimento seja melhor. Assim, essa operação foi criada pelo Banco Central para gerar mais competitividade entre as instituições financeiras. Desse modo, melhores condições para os consumidores são oferecidas.

A solicitação de portabilidade de crédito pode ser feita a qualquer momento. Basta que o contrato seja cancelado e a dívida com o banco original seja quitada. Contudo, é importante salientar que a nova operação de crédito não pode ter o valor e prazo superiores ao contrato original.

Como funciona a portabilidade de crédito?

Existem algumas etapas a serem seguidas para a portabilidade de crédito. Elas garantem que você tome a melhor decisão para o seu orçamento.

Compare as taxas de juros – financiamento de imóveis

Lembre-se sempre de pesquisar bastante as opções de várias instituições financeiras. Simule os valores e compare as taxas de juros e Custo Efetivo Total.

Entre em contato com o banco atual

Para iniciar a portabilidade de crédito é preciso solicitar algumas informações sobre a sua dívida. Vale lembrar que a empresa tem a obrigação de ceder essas informações.

  • Número do contrato;
  • Saldo devedor atualizado;
  • Demonstrativo da evolução do saldo devedor;
  • Sistema de pagamento;
  • Modalidade de crédito;
  • Valor de cada prestação (especificando o valor do principal e dos encargos);
  • Taxa de juros anual (nominal e efetiva);
  • Prazo total e remanescente;
  • Data do último vencimento da operação.

Decida o banco que melhor te atende

Após a análise de opções e obtenção de todas as informações sobre sua dívida, procure a nova instituição. Seu banco atual não pode impedir que a portabilidade seja feita. Contudo, a nova credora não tem obrigação de aceitar a transferência.

Após o aceite do novo banco, o agente financeiro escolhido realiza o pagamento do débito e assume o novo empréstimo. A operação de portabilidade de crédito é permitida para pessoa física em linhas como: cartão de crédito, cheque especial, crédito pessoal e consignado, financiamento de veículo e financiamento imobiliário.

Como funciona a portabilidade de financiamento de imóveis?

A portabilidade de crédito imobiliário acontece de maneira semelhante à portabilidade de crédito. A operação consiste em transferir um financiamento imobiliário de uma instituição financeira para outra sem cobranças de custos pela transferência. O novo financiamento deve manter o valor e prazo do contrato com a instituição financeira de origem. As taxas de juros podem ser negociadas e por isso é importante pesquisar as melhores condições.

O novo banco quita a dívida do tomador perante o banco inicial e oferece outras condições para financiar o que resta. Contudo, é importante verificar com a nova instituição as condições de pagamento de todos os custos da operação e não só o Custo Efetivo Total (CET). Isso porque, custos como taxas de avaliação do imóvel e custos de documentação devem ser colocados na ponta do lápis.

A operação de portabilidade de crédito pode ser feita quantas vezes você desejar. Contudo, mesmo não havendo um limite ou valor máximo de portabilidade é uma decisão importante e burocrática. Assim, a dica é escolher a instituição financeira com muito cuidado para evitar mudanças futuras.  

Quando pedir a portabilidade de crédito

Qualquer mudança em nossas vidas requer muita análise, principalmente quando falamos no âmbito financeiro. A ideia de optar por uma nova modalidade de crédito pode vir da necessidade de saldar dívidas que até então estavam muito altas e começar a impulsionar projetos pessoais. Desse modo, decidir pela operação ou não dependerá de suas necessidades.

Contudo, alguns pontos podem te ajudar a tomar essa decisão. Por exemplo, a portabilidade só valerá a pena se o Custo Efetivo Total (CET) for menor que o anterior. Não leve em consideração só a taxa de juros mensal. Isso porque, junto dela são adicionadas diversas tarifas que acabam por encarecer o empréstimo. Para evitar problemas, a empresa precisa fornecer o valor final cobrado antes do início da operação.

Além disso, avalie:

O valor total das dívidas

Procure iniciar a portabilidade de crédito apenas quando souber exatamente o seu saldo devedor. Assim, é possível negociar as condições de pagamento de forma mais precisa. Solicite os valores ao banco em que possui a dívida original. Caso a instituição dificulte o acesso a essas informações, o cliente deve registrar uma reclamação junto ao Banco Central.

Organize o orçamento

Organizar suas finanças é fundamental antes de optar pela portabilidade de crédito. Assim você saberá quanto pode dedicar no pagamento das dívidas. O ideal é começar pelo seu holerite e conferir o seu salário líquido. A partir disso é possível estabelecer o valor exato que entra em sua conta corrente e separar seus gastos fixos, ou seja, aqueles que não podem ser eliminados. Registre gastos como aluguel, condomínio e mensalidade escolar.

Depois veja quais são as despesas variáveis e planeje quais podem ser cortadas para diminuir o valor comprometido mensalmente. Nessas situações a maioria das pessoas cortam gastos como vestuário e idas à restaurantes. Além disso, não deixe de pensar  em custos como férias e viagens em feriados.

Por fim, compare o tamanho da dívida e as parcelas mensais com sua renda. O recomendado é que seja possível quitar tudo sem comprometer mais de 30% do seu orçamento. Desse modo, a portabilidade de crédito se torna realmente vantajosa.

Compare as condições – financiamento de imóveis

Cada instituição financeira oferece condições diferentes. Assim, é muito importante comparar as opções antes de decidir qual será a nova instituição. A maioria dos bancos oferecem a opção de simular os valores e condições. Assim, é possível saber quanto será sua dívida final. Essa simulação pode ser feita online, evitando o transtorno de se dirigir a uma agência física.

Portabilidade de crédito: um novo modelo de financiamento

As taxas de juros imobiliárias estão entre as mais baixas da história. Com isso, operações de portabilidade de crédito se tornaram vantajosas para quem deseja reduzir os custos de contratos antigos. Isso acontece, porque ao transferir a dívida para outro banco, o comprador pode reduzir o valor das parcelas, melhorando as condições do empréstimo.

Esse também é o momento ideal para adquirir seu imóvel próprio ou mudar de casa. Como dito, as condições de financiamento estão propícias devido à baixa das taxas de juros. Para adquirir uma casa com segurança e minimizando os problemas, conte com profissionais de segurança. A Casa Mineira Imóveis possui um portal com vários imóveis que com certeza atenderão às suas necessidades.

Fonte: Casa Mineira

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta