Perfil do Corretor de Imóveis passa por mudanças

No passado, o Corretor de Imóveis era visto como um indivíduo sem grandes perspectivas profissionais, valendo-se de alguns contatos, a fim de realizar transações imobiliárias. Hoje, o perfil deste profissional passa por inúmeras mudanças e, os corretores do interior do Estado do Rio de Janeiro estão atentos aos novos conceitos.

Perfil do Corretor de Imóveis passa por mudançasSegundo pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), novas mudanças aconteceram no cenário, dentre elas, o crescimento da participação feminina e o aumento da escolaridade entre os corretores. Durante a pesquisa, descobriu-se ainda o aumento do número de profissionais autônomos, média salarial dentre outros aspectos.

O número de mulheres aumentou em 144% nos últimos dez anos. Hoje, cerca de 20% dos profissionais são do sexo feminino e, de acordo com os dados apontados pela pesquisa, essa é uma forte tendência para os próximos anos.

Segundo a corretora Maria Cláudia Neves, que trabalha no município de Campos dos Goytacazes, as mulheres começam a ganhar espaço.

– Realmente os dados são condizentes com a percepção que tenho em relação ao nosso município. As mulheres começam a ganhar espaço num terreno ainda dominado pelos homens, por isso, às vezes, temos que nos superar e tentar pensar como eles [homens] pensam. Mas, acredito muito na forma como nós mulheres conseguimos conduzir os negócios. Às vezes, a suavidade e o saber ouvir são as nossas melhores armas – brinca Maria Cláudia.

Além da diferença entre os sexos, a pesquisa mostra que a maioria dos corretores tem buscado se qualificar. Metade dos corretores já possui nível superior e cerca de 51% possui o curso de Técnico em Transações Imobiliárias (TTI), exigido para a concessão do registro profissional.

Em Macaé, o corretor Antônio José Vieira desistiu de seguir carreira na área de Direito e apostou na mudança. Assim que concluiu o curso de TTI, ingressou no mercado de trabalho.

– Não me arrependo da escolha. O mercado me oferece a possibilidade de ganhos consideráveis. Acredito que minha formação acadêmica me ajude bastante nesta nova empreitada. O Corretor de Imóveis é um profissional que precisa sempre se reciclar, buscando atender às necessidades do mercado – comenta Antônio.

O mercado imobiliário exige profissionais qualificados e, atualmente, bacharéis em Direito e em Administração predominam a profissão, sendo mais da metade dos corretores com nível superior.

No município de Itaperuna, o corretor Anderson Luiz de Souza, formado em Administração de Empresas, é outro que decidiu apostar na mudança.

tecimob– É um mercado promissor, onde o profissional precisa estar antenado às novas demandas do mercado. É uma profissão que possui potencial para aqueles que almejam estabilidade financeira. Também é uma atividade que proporciona novos desafios, o que nos leva a buscar novos conceitos de inovação, primando pela satisfação do cliente, bem como na qualidade dos serviços oferecidos. Estou muito satisfeito com a nova profissão – garante Anderson.

Também predominam entre os corretores, profissionais graduados em Contabilidade e Engenharia. Ainda de acordo com os dados apontados pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis, o investimento em qualificação profissional é um reflexo da política de valorização da classe, que não tem medido esforços para atender um mercado cada vez mais exigente, que aposta em profissionais gabaritados.

Fonte: Itaperuna News

Deixe seu comentário