Entre na nossa lista de email e receba Notificações exclusivas sobre o mercado imobiliário Toda semana!

Lendo Agora
Imóveis Menores e Mais Caros

Imóveis Menores e Mais Caros

Profissionais do segmento imobiliário em São Paulo vêm constatando já há algum tempo que as ofertas de imóveis menores e mais caros estão se tornando comuns na capital. De acordo com o Sindicato da Habitação (SECIVI-SP), a super valorização dos imóveis e o lançamento cada vez maior das unidades que tem até 65m² estão colocando os compradores diante de três alternativas:

Imóveis Menores e Mais Caros

Imóveis Menores e Mais Caros

Gasta um pouco mais ao comprar a casa própria, decide morar em um lugar um pouco mais distante do centro da cidade ou então faz opção pela compra de um imóvel menor do que o desejado de inicio.

Valorização imobiliária

Ainda olhando os dados do Sindicato da Habitação é fácil ver que desde 2005 até agora o preço do metro quadrado nos lançamentos feitos em São Paulo teve em media um aumento da ordem de 30,6% passando assim de R$ 3.016 para R$ 3.939.
Isso equivale dizer que a valorização que foi mais concentrada nos dois últimos anos, ficou muito próxima da inflação deste período que foi de 28,4%, embora tenham alguns bairros mais centrais em que os aumentos registrados foram ainda mais expressivos.
Na pratica, entretanto o resultado disto foi que o consumidor perdeu em relação a seu poder de compra na medida em que tem pessoas que se a cinco anos podiam gastar R$ 100 mil na compra de um imóvel, hoje teria que gastar R$ 130 mil para adquirir o mesmo apartamento ou casa. Com isso a SECOVI somente comprova que na capital paulista os imóveis sofreram, em 5 anos um reajuste acima de 30%.

Alternativas do comprador

Compradores

Compradores

Se não quisessem gastar mais, os compradores poderiam fazer a opção de comprar um imóvel menor do que o pretendido garantindo assim que pagariam o valor de que dispunham em 2005. Os imóveis menores são consideravelmente mais baratos e com isso se tornam mais acessíveis para aqueles compradores que tem media ou baixa renda.
Este é o motivo para que 45,5% dos lançamentos feitos na capital tenham uma área útil de até 65 m² que em geral possuem dois quartos. Na realidade, hoje os imóveis estão sendo construídos com vistas no tipo de demanda, ou seja, em sintonia com a procura dos consumidores que são em sua maioria trabalhadores que ainda sonham com a compra da casa própria e que agora com o programa do governo Minha Casa, Minha Vida estão tendo acesso ao credito para realizarem esse sonho.

Leia Também
Alta do IGP-M pressiona o mercado imobiliário

Mudanças do mercado

Casas

Casas

É bom considerar que existem mudanças no mercado imobiliário que vieram e que não mudam mais como é o caso do encarecimento dos imóveis, pois isto é devido à escassez de terrenos em SP o que é irreversível, pois os terrenos baldios na cidade são exceções e essa limitação se tornou um fator de grande peso no encarecimento dos imóveis. Outra tendência que não muda mais é colocar unidades menores em oferta.

Nenhum Comentário (0)

Deixe seu Comentário

Seu email não será divulgado.

© 2021 Publicidade Imobiliária. Todos os direitos reservados.