Golpe do “apartamento fantasma” faz 100 vítimas.

Cerca de 100 pessoas, moradoras de toda a região, podem ter sido vítimas de um golpe envolvendo a venda de “apartamentos fantasmas”. Quem denuncia o caso é o delegado Fernando Shimidit de Paula, titular da Delegacia de Crimes Contra o Meio Ambiente da Seccional de Carapicuíba.  Segundo ele, uma cooperativa habitacional montou um estande, na altura do Km 39 da rodovia Raposo Tavares, em Cotia, para venda de apartamentos que seriam construídos em Vargem Grande Paulista.

O problema é que a incorporação do empreendimento não estava registrada em cartório, conforme determina a lei. “Além disso, descobrimos que o terreno onde o empreendimento seria construído não foi sequer comprado pela empresa. Houve apenas uma proposta de compra feita ao proprietário”, explica o delegado.

Os problemas não param  por aí. O que era vendido, no local, não eram apartamentos, mas sim associação à cooperativa. “Em outras palavras, as pessoas teriam que ser cooperadas e, com o dinheiro arrecadado, a empresa pretendia comprar o terreno e construir os apartamentos. Mas, se não conseguir, as pessoas serão lesadas”, completa o delegado. Foram levadas à delegacia 13 pessoas.

Dentre elas, 6 tinham registro com corretores de imóveis e foram autuados pelo Creci por atuarem em desacordo com a ética da profissão. Outros 4, que não tinham registro no conselho,  foram autuados por exercício ilegal da profissão. Os demais são o proprietário e diretores da empresa, que vai responder a processo que será encaminhado à Justiça. Segundo o delegado, a venda envolvia 1040 unidades, entre apartamentos de 2 dormitórios, por R$160 mil, e de 3 dormitórios, por R$200 mil.

O estande  funcionou por 13 dias e os compradores, de toda a região, pagaram R$150 para aderir  à cooperativa e R$2 mil para comprar sua “cota” do apartamento prometido. “Se as pessoas pagaram esse valor já sabendo que estavam só aderindo  à cooperativa, não podemos fazer nada. Já aquelas que pagaram achando que já estavam comprando um apartamento foram induzidas ao erro e são vítimas”, completa o delegado.

Fonte: Web diário

Deixe seu comentário