Desafios para 2019 ! E agora o que esperar do Mercado Imobiliário?

Após muitas dúvidas e incertezas durante o período eleitoral no Brasil, finalmente finalizamos o processo de escolha e definimos Bolsonaro presidente durante os próximos 4 anos.

A economia, como um todo, depende de confiança e investimentos, para estabilizar nosso mercado interno e também equilibrar as contas públicas externas.

Diante disto, o que devemos esperar ?

Nos últimos 8 trimestres o Brasil apresentou crescimento, que apesar de pouco significativo, têm sido constante. Junto a este panorama, temos uma forte aceleração no número de empregos nos meses de Agosto e Setembro (média de 100 mil empregos com carteira assinada).

Estes são alguns dos pontos que aumentam o índice de confiança do Brasil, que vem subindo pouco a pouco. Outros fatores favoráveis: inflação sob controle e as contas externas que terão um dos maiores superávit da história.

Com todo esse cenário otimista você deve estar pesando, o que falta para finalmente decolarmos? É aí que a conversa fica um pouco mais séria. Vamos ao pontos:

Reforma da Previdência

Um dos fatores de extrema importância e que deverá ser resolvido entre o final deste ano e o início do ano que vêm é a Reforma da Previdência. O déficit é uma questão que preocupa e muito. Para se ter uma ideia, somando o déficit dos Estados, Municipios, Governo Federal e Inss temos um Rombo na previdência de 400 bilhões de reais e isto precisa ser resolvido o quanto antes!

É necessário uma mudança na previdência, retirando os privilégios, benefícios e contribuições para que todos tenham os mesmos direitos e que seja capaz sustentar essa carga pública que carregamos.

Reforma Tributária

Outro ponto de extrema importância e que terá um forte peso no rumo que o pais irá tomar é a Reforma Tributária. Deve e será feita a fim de simplificar a forma de fazer negócios no Brasil, redução de custos de produção e reajuste nos impostos.

Uma das Bandeiras levantadas por Bolsonaro durante a campanha presidencial foi o incentivo ao Empreendedor. A desburocratização das questões relacionadas a abertura de empresas, melhor eficiência e tributação mais justa de impostos com incentivo ao gerador de empregos.

Esperamos que estas propostas sejam cumpridas e que levem o país a um novo patamar. Com o dolar mais baixo, temos maior oferta de crédito e consequentemente balanços positivos da bolsa. Tudo isso cresce em cadeira e trás melhorias para todas as áreas do país.

Dito isto, o nosso Mercado Imobiliário deverá criar condição e sustentação afim de ampliar as linhas de crédito, incentivar a construção civil com novos lançamentos e principalmente dar aos Compradores de imóveis as condições financeiras e trabalhos necessários para criarem seus próprios patrimônios.

Uma particularidade do Mercado imobiliário é que: Quando o país está bem ele é um dos últimos a ser atingido, pois necessita de uma economia estável para termos compradores potenciais com estabilidade financeira. Por outro lado, quando a economia está mal é um dos primeiros setores a ser prejudicado, pois sem  emprego e nem renda as pessoas perdem o poder de compra e trocam suas prioridades. Isso faz com que torçamos por um 2019 próspero e com muitas mudanças para o aquecimento do nosso mercado de imóveis.