Casal é enganado e compra terreno irregular

Hoje percebo ser necessário postar novamente um alerta que fiz em 11 de outubro de 2016 e repetido no dia 21 de fevereiro de 2017, orientando à todos que desconfiem de ofertas exageradas e excesso de facilidades na compra de terrenos, casas, apartamentos, etc. Ontem dia 13 de dezembro acompanhei um casal até a Prefeitura para resolver questões do seu imóvel e lá descobrimos que haviam comprado um terreno irregular, e pior ainda, que o terreno é em área de Preservação Permanente (APP) e que fazer qualquer obra nesta área configura crime ambiental. O casal que tinha muitos planos para iniciar uma nova fase da vida, pagou parte do imóvel, tendo já investido R$ 50 mil reais, sendo o restante pago em parcelas mensais para o loteador que havia dado muitas garantias sobre a compra. Infelizmente não é único caso!

Meu alerta é para que ninguém veja seu sonho se transformando em pesadelo e também para que não aconteça, de que no futuro, alguém cobre o vereador para se empenhar por água, luz, esgoto, asfalto, transporte, etc, em uma área irregular que não pode ser contemplada por estes serviços, como já vi em diversas postagens no facebook ( onde está o vereador que nao luta pelo meu bairro…). Lembre-se ao comprar um terreno irregular, o sonho pode virar pesadelo. É importante entender que terrenos populares à preços mais acessíveis, caso seja possível, somente em programas oferecidos pela Prefeitura do Município, nunca por particulares!

Para evitar problemas como este, siga algumas orientações:

– Antes de comprar um terreno, consulte a Secretaria de Obras da Prefeitura, para ver se o loteamento é regular;
– Nunca feche a compra imediatamente, procure obter o maior número de informações sobre o objeto de compra;
– Desconfie de valores abaixo do mercado: os terrenos e casas a venda possuem valor médio por metro quadrado, que é calculado de acordo com a valorização da região em que estão inseridos e condições em que se encontram. Se o que você procura estiver muito abaixo dessa média, vale investigar mais detalhadamente a documentação para não cair em golpe;
– Desconfie de trâmites fáceis (contratinho de gaveta, mesmo com firma reconhecida): Toda venda financiada exige comprovação de estabilidade financeira. Ela é a única garantia que o vendedor tem de que receberá por aquilo que vende. Por isso desconfie quando for exigido uma pequena entrada e apenas seus documentos pessoais, como RG, CPF e Comprovante de endereço;
– Para que um negócio imobiliário aconteça sem sobressaltos é aconselhável ser assessorado por um corretor credenciado pelo Creci.
– É importante fazer uma pesquisa completa sobre a idoneidade da imobiliária, se responde a processos e conversar com outros clientes sobre o serviço prestado. Outra dica para evitar dor de cabeça é conferir o registro do corretor.

– Nunca acredite na promessa de que o “loteamento será regularizado em breve”, pois o projeto precisa ser aprovado primeiramente na Câmara Municipal.

– Respeitando os demais colegas vereadores afirmo que não tenho nenhuma intenção de aprovar novos loteamentos sem que haja primeiro estudo de impacto, sem novos projetos para galerias pluviais (escoamento de água de chuva, pois o risco de enchentes é contante) sem antes pensar em aumentar oferta de saúde, transporte, vagas em creches, segurança, etc. Pois isso não seria crescimento e sim inchaço, nossa cidade sofre por não ter havido esta preocupação no passado recente.

Espero que meu alerta ajude a população de menor potencial financeiro de nossa cidade, que são trabalhadores, que muitas vezes usam o Fundo de garantia de anos de trabalho duro ou algum dinheiro guardado com muito esforço para tentar realizar o sonho de ter uma casa própria, de ter o seu “cantinho” e são enganados sem dó por aqueles que só pensam em levar o seu suado e sofrido dinheiro!

Fonte: Itupeva Agora

Deixe seu comentário