Falsos corretores de imóveis são detidos em shopping

Falsos corretores” suspeitos de venderem imóveis da Caixa Econômica Federal (CEF) irregularmente foram encaminhados para a delegacia após fiscalização do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci), no shopping Tambiá, em João Pessoa, na manhã desta quinta-feira (10). Cinco corretores sem filiação, um corretor filiado e um bacharel de direito que se passava por advogado do escritório foram encaminhados para a delegacia.

O coordenador de fiscalização do Creci-PB, Hermano Azevêdo, disse que na quarta-feira (9) “o escritório foi notificado para que fechasse as portas e parassem de vender os imóveis retomados da CEF”. Na manhã desta quinta foram até o local e os funcionários continuavam trabalhando, foi quando a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Polícia Civil foi acionada.

“Até um cliente do escritório estava na hora que chegamos”, contou Hermano. Após denúncia anônima, o Conselho dos corretores foram informados de que o escritório vendia imóveis que a CEF recolhia de quem não cumpria com o contrato – não pagava o imóvel. “Como o conselho tem um convênio com a Caixa, apenas corretores legalizados podem vender”, disse Azevêdo.

O principal meio de vendas dos “falsos corretores” era através de um aplicativo de compra e venda e os imóveis se concentravam na zona Sul de João Pessoa, informou o coordenador de fiscalização.

Como fugir de golpes

Hermano Azevêdo disse que a melhor maneira da população fugir desse tipo de golpe é observando se no anúncio tem o número do cadastro do corretor no Conselho Regional dos Corretores de Imóveis, a não ser que seja uma negociação direto com o dono.

Se houver a suspeita do corretor ou do imóvel, o Creci deve ser consultado para esclarecimentos, informa o coordenador. Ele disse que em 2016 foram 136 “falsos corretores” autuados e, até agosto deste ano, foram 90.

Fonte: G1

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário!