Caixa estima crescimento de 15% no crédito imobiliário em relação a 2020

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a linha de crédito imobiliário cresceu 40% em janeiro na comparação de 12 meses

Caixa estima crescimento de 15% no crédito imobiliário em relação a 2020

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou esperar crescimento de mais 15% no crédito imobiliário em 2021, depois de a modalidade já ter avançado em volume recorde no ano passado. De acordo com ele, a linha cresceu 40% em janeiro na comparação de 12 meses.

As declarações foram feitas durante apresentação do executivo em evento anual do Credit Suisse para investidores, realizado em formato on-line nesta edição.

Crédito imobiliário, segundo Guimarães, são algumas das linhas em que a Caixa pretende se concentrar, assim como nos clientes de baixa renda. “A gente tem de focar onde tem vantagem competitiva”, afirmou.

O executivo disse também que o banco pretende retomar os pagamentos de instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD) neste ano, com a devolução de mais R$ 10 bilhões. Em 2020, a pandemia congelou esse processo.

Guimarães reiterou que a Caixa tem cinco IPOs no radar: das áreas de seguridade, cartões, gestão de recursos, banco digital e loterias. Este último, lembrou, não depende apenas de vontade do banco. De acordo com o executivo, as aberturas de capital são um legado que pretende deixar na instituição, já que a presença de minoritários tende a reforçar a governança.

No caso da operação mais avançada – a da Caixa Seguridade -, Guimarães disse já ter demanda suficiente para cobrir duas vezes a oferta, “dependendo do preço”. O banco concluiu as parcerias com seguradoras e a montagem de uma corretora própria. No fim da semana passada, o banco também retomou o processo de seleção de um parceiro para a área de adquirência, uma das etapas preparativas para o IPO da Caixa Cartões.

De acordo com o executivo, a instituição também colocou dentro dessa subsidiária a fatia da cartões Elo correspondente à Caixa. A bandeira de cartões é controlada em conjunto por Bradesco e Banco do Brasil (BB) e também prepara sua oferta inicial de ações.

Fonte: Valor Investe

Deixe seu comentário